Usina de Letras
Usina de Letras
54 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59672 )

Cartas ( 21255)

Contos (13337)

Cordel (10321)

Crônicas (22226)

Discursos (3170)

Ensaios - (9538)

Erótico (13486)

Frases (47223)

Humor (19422)

Infantil (4629)

Infanto Juvenil (3942)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138794)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5662)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Textos_Religiosos-->Travessia -- 02/03/2005 - 17:26 (Antonio Jose Laurindo) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

Vocês estavam lá, aliás, na realidade vocês sempre estiveram, nunca partiram, apenas se despediram, a separação foi tão repentina, tão rápida, tão inesperada que jamais acreditamos que fosse verdade, passou-se alguns anos, alguns invernos outros verões, mas a certeza de que vocês voltariam era tanta que jamais perdemos a esperança, interessante que ambos partiram quase que na mesma data, apenas com alguns anos de diferença, era início de inverno, a paisagem estava seca, umidade relativa do ar, baixíssima, apenas no período noturno subia um pouco, uma brisa fria cortava as manhãs, e foi numa dessas manhãs que o telefone tocou, parece incrível mas quando atendi já esperava pela noticia de sua partida, passei mão do único meio de transporte que possuía na época e saí pedalando com os olhos cheios de lágrimas, cortando aquela brisa fria, em busca de ajuda para ir até ao seu encontro, sabia que quando lá chegasse encontraria seu corpo desfalecido sob uma pedra de mármore, era uma imagem que jamais desejaria presenciar ou encarar, mas tive que encontrar coragem e sangue frio para suportar, mas uma das coisas que eu sempre me orgulhei em Ter foi coragem, procurei encarar tudo com naturalidade, suportei até o ultimo instante sem me esmorecer, me coloquei como fortaleza mas no fundo somente eu sabia o quanto sofria com aquela perda. Era um dos momentos que eu mais precisava de ti, um dos momentos em que eu transitava como se fosse em uma corda bamba, mas seu espírito sua áurea me fortaleceu e eu pude resistir e me fortalecer novamente, alguns anos depois parece-me que eu estava assistindo o mesmo filme sentindo as mesmas emoções, as mesmas dores, tendo que encontrar forças nem sei de onde para encarar tudo novamente, apenas uma diferença você sofreu bem mais que ele, seu calvário foi maior, em alguns momentos cheguei ate mesmo a pedir ao bom Pai que aliviasse seu sofrimento, mas tudo aconteceu naturalmente como estava escrito e novamente em um dia do inicio de inverno você também se despediu de nós, suavemente você foi se afastando até perder-se no infinito. É incrível como as coincidências são tamanhas, vocês dois tiveram quase o mesmo tempo de viagem a bordo do trem bala da vida, viveram muito pouco para verem e presenciarem o fruto e a obra de suas criações, mas agora estão de volta com um bilhete de passagem novinho em folha, apenas com uma diferença voltaram juntos no mesmo dia no mesmo instante e estão nos dando a oportunidade de poder vê-los crescer novamente e assim podermos cuidar de seus passos e de seus caminhos, certamente não poderemos influir em seus destinos como também não poderemos modificar seus itinerários a bordo do trem Bala mas com certeza poderemos conviver com vocês por mais algum tempo.

Laurindo (direitos reservados)
Comentarios
Perfil do AutorSeguidores: 18Exibido 1139 vezesFale com o autor