Usina de Letras
Usina de Letras
71 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60375 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22278)

Discursos (3194)

Ensaios - (9719)

Erótico (13520)

Frases (48275)

Humor (19560)

Infantil (4832)

Infanto Juvenil (4183)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1346)

Poesias (139391)

Redação (3121)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5814)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cartas-->Confissão de um assassino -- 08/02/2002 - 20:02 (Ariano suassuna) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Acabei de assassinar um autor autor do Usina.
Assassinato virtual, é obvio. O autor que eu matei
nunca mais escreverá por aqui. Se vocês derem
pela falta dele, saberão quem é, caso contrário,
muito em breve cometerei suícidio.

O sertanejo é, antes de tudo, um forte; mas o
autor que assassinei não era um sertanejo, por
isso morreu na miséria e no esquecimento.

Se descobrirem quem eu matei, isto significa que
ele tinha um estilo e que, portanto, deve ser
ressucitado.

A benção, meu padim padre Ciço.


Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui