Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
31 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59033 )

Cartas ( 21233)

Contos (13075)

Cordel (10287)

Crônicas (22188)

Discursos (3163)

Ensaios - (9400)

Erótico (13482)

Frases (46376)

Humor (19246)

Infantil (4422)

Infanto Juvenil (3669)

Letras de Música (5476)

Peça de Teatro (1335)

Poesias (138134)

Redação (3048)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2425)

Textos Jurídicos (1943)

Textos Religiosos/Sermões (5490)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->1929 - Carreteiro Apaixonado -- 02/11/2020 - 16:54 (Jairo de A. Costa Jr.) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

1.929 – Carreteiro Apaixonado

Já escrevi sobre meu pai, sobre ele, sobre nossa convivência e esses dias escrevi sobre nossa família, um exercício e uma narrativa que encaminhei ao meu neto Caio, para ele saber sobre nós, quando estiver mais crescido. Por ser o mais velho dos filhos, convivi mais com o meu pai, além da nossa eterna amizade, já que não fomos somente pai e filho, fomos amigos, de longas conversas e pensamentos conjuntos.

Quando terminei a narrativa, parecia que eu sabia tudo sobre o meu pai, menos que ele era um carreteiro apaixonado. Fiquei sabendo disso agora recentemente, quando a minha irmã Geisi encontrou uma “carta” que ele escreveu por volta de mil novecentos e noventa e um, noventa e dois. Na época, era para a minha irmã encaminhar à revista O Carreteiro, que ela por algum motivo não fez e a cartinha se perdeu.

Por sorte, essa carta foi encontrada pela própria Geisi numa caixa antiga de papéis e ela divulgou entre a nossa família pelo WhatsApp; o meu sobrinho Pedro resolveu encaminhar ao site da revista O Carreteiro que a acatou e publicou em sua edição de Set/Out-538.

Transcrevo a publicação que saiu com o nome de “Carta Encontrada” e segue introdução dada pela revista: “Esta carta foi encontrada pelos netos na antiga casa do caminhoneiro Jairo de Almeida Costa, falecido em 2008 aos 79 anos de idade, após 40 anos de profissão. Seu interesse, disse seu neto Pedro Almeida, era vê-la publicada na revista O Carreteiro. Por algum motivo seu desejo não foi realizado em vida. Segue o texto na íntegra.”.

 

* Jairo de Almeida Costa, nascido em 15/08/1929, natural de Eldorado Paulista vindo para São Miguel nos anos 40, completando o 3o e 4o ano escolar Professora Dona Onorina. São-miguelense há 50 anos, começando a vida como ajudante de caminhão. Passando pelos famados motoristas Miguel Salim (Dedéi), Miguel França e Dudu Miguel.

Já em 1949, motorista de Chevrolet do Seu João Jabur, dei início de boa carreira, transportando carvão para São Paulo e assim com Wadi até 1959; quando comprei o meu Mercedes cara chata, para pagar em 24 meses. Rodando por este Brasil de Sul a Norte, Nordeste, Centro Oeste. 40 anos de estrada transportando o Progresso do Brasil.

Feliz da vida com sítio do Brejauva, com minha mulher Cida e meus nove filhos Jairinho, José Antônio, Gilson e Janie, Aparecida, Geisi, Camila, Diógenes e Hismir e 8 netos.

Agradeço a Deus por tudo. Carreteiro Apaixonado. *

Nesta segunda de dois de onze de vinte, agradecendo à revista O Carreteiro por atender o desejo do meu pai, tomo também a liberdade de mostrar aos meus leitores do Postal.

Comentários

Tony de Almeida  - 04/11/2020

Eu já havia lido pela Geisi. Sempre umaemoção nova!!!!Obrigado, Jairo!abraço.

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 8Exibido 50 vezesFale com o autor