Usina de Letras
Usina de Letras
171 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60350 )

Cartas ( 21289)

Contos (13386)

Cordel (10358)

Cronicas (22276)

Discursos (3193)

Ensaios - (9713)

Erótico (13520)

Frases (48233)

Humor (19546)

Infantil (4824)

Infanto Juvenil (4173)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139339)

Redação (3116)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2437)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5809)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Contos-->Mestre - Caminho para a Sabedoria -- 13/01/2002 - 21:35 (Adelio Rosa) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Caminho da sabedoria


Um homem, ainda jovem, decidiu ir de encontro à paz e à felicidade. No Universo em que vivia seguiu pela longa estrada, onde caminhou anos e mais anos. Andou muito até que um dia chegou a uma bifurcação, dois caminhos diferentes que poderiam levá-lo a encontrar o que buscava. Deteve-se por algum momento, pensativo sobre que caminho tomar. Um dos caminhos demonstrava muito movimento. O chão, limpo de qualquer vegetação, denunciava que por ali muitas pessoas seguiram. O outro, semifechado pela vegetação rasteira, indicava que poucos caminharam sobre ele.
O jovem decidiu pelo caminho mais usado, afinal, muita gente estava em busca da felicidade e da paz. E se aquele caminho era o mais usado, isso significava que seria o certo. Seguiu confiante de que chegaria a seu destino. Caminhou por vários anos. Na diversidade do tempo, enfrentou chuva, frio, forte calor. Por momentos, seguia em terreno plano, logo depois, repentinamente, via-se diante de subidas íngremes ou em ladeiras que pareciam não ter fim. Na força de sua juventude, o homem enfrentava tudo aquilo com disposição e fé. Buscava a felicidade e a paz e acreditava estar no caminho correto.
Mas, o tempo passou, e a juventude deu lugar ao cansaço da velhice.
Muitos anos depois de ter escolhido aquele caminho, o homem percebeu que por mais que andasse, não estava indo de encontro à felicidade e a paz.
Decidiu voltar.
Caminhou outro tanto e, muitos anos depois, estava de volta à bifurcação. Mas sabia que era muito tarde para recomeçar no outro caminho, que certamente o levaria de encontro à paz e felicidade. Foi então que percebeu que muitas pessoas poderiam também errar o caminho, sofrendo as dificuldades que ele sofreu. O homem que buscava a paz e a felicidade decidiu permanecer ali, na bifurcação, indicando a quem se interessasse, o caminho.
Em pouco tempo encontrou-se com três homens que também buscavam o caminho que os levaria ao encontro da paz e da felicidade. Ao vê-los, o homem, amavelmente, disse:
- Se buscam o caminho da paz, aconselho-os a não seguirem por esta estrada. Ela não tem fim. Caminhei uma vida toda por ali, sofri na ida e na volta. Certamente, o caminho da paz e da felicidade é por ali, disse, indicando a outra direção.
Um dos viajantes, ao ouvir o homem, decidiu seguir pelo caminho indicado. O segundo viajante, indeciso, olhava os dois caminhos sem saber por onde ir. Quanto ao terceiro, refutou o conselho do homem e seguiu pelo caminho sem fim.
O viajante indeciso quis saber:
- Por que motivo nos indica o caminho da paz e da felicidade?
O homem refletiu por alguns minutos e respondeu:
- Pelo mesmo motivo que levará você a seguir por um destes dois caminhos, disse o homem, completando em seguida:
- Há homens que buscam a paz e a felicidade. Outros, simplesmente, buscam a sabedoria, disse Mahatma, o Mestre.
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui