Usina de Letras
Usina de Letras
80 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59807 )

Cartas ( 21263)

Contos (13364)

Cordel (10327)

Cronicas (22226)

Discursos (3173)

Ensaios - (9574)

Erótico (13486)

Frases (47456)

Humor (19436)

Infantil (4673)

Infanto Juvenil (4003)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138973)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2436)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5700)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Contos-->AQUÁRIO -- 08/02/2002 - 16:13 (Nivea E Silva Benjamin) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
ERA MAIS UM HOMEM QUE CAMINHAVA NO MEIO DA MULTIDÃO QUE TOMAVA AS RUAS DO CENTRO DA CIDADE. A HORA NÃO POSSO PRECISAR, MAS AS PRIMEIRAS PESSOAS JÁ COMEÇAVAM O TRABALHO, ENQUANTO RUIDOSOS VENDEDORES AMBULANTES GRITAVAM PARA CHAMAR ATENÇÃO PARA SUAS MERCADORIAS.
O QUE TINHA AQUELE HOMEM DE ANORMAL PARA CHAMAR MINHA ATENÇÃO A PONTO DE ESCREVER SOBRE ELE? NADA TALVEZ, MAS SE OLHASSE MAIS DE PERTO, PODERIA SE DIZER QUE PARECIA SUFOCAR, O AR ESTAVA ESCASSO PARA ELE. A GRAVATA LHE APERTAVA O PESCOÇO LEMBRANDO-LHE SEMPRE DOS LAÇOS QUE TINHA VONTADE DE DESATAR, EMBORA NUNCA O FIZESSE. SEU OLHAR ERA LÂNGUIDO E PERDIDO, VAGAVA EM FORMAS DE PENSAMENTO INIMAGINÁVEIS. COMO SERIA SUA VIDA, PARA ONDE ESTARIA INDO?
UMA CURIOSIDADE SÚBITA ME ENVADIA, SEGUIA OS PASSOS DE UM ESTRANHO SEM ME DAR CONTA, ÁS VEZES TENHO DESSAS LOUCURAS REPENTINAS. E NÃO LUTO MAIS CONTRA ISSO. SÓ FAÇO. ATÉ QUE A VONTADE VENDO-SE OBEDECIDA ME DEIXE EM PAZ.
DECERTO NO MOMENTO QUE VIA SEU MODO DE ANDAR OU SUA EXPRESSÃO FACIAL, RESOLVI CHAMÁ-LO OSWALDO. QUE PODER ESTAVA ME DANDO! ESCOLHER OS NOMES E A HISTÓRIA DE VIDA DE PESSOAS QUE NUNCA TINHA SEQUER AVISTADO, OU ACENADO AO LONGE. AO PENSAR NISSO TIVE MEDO, EMBORA NÃO ME SERVISSE DE NADA AQUELE MEDO, VISTO QUE NÃO CONSEGUIA ME DETER. ERA UM SENTIMENTO BOBO, INFANTIL E INÚTIL, NUNCA PODEREI ENTENDÊ-LO OU MESMO TOCÁ-LO.
UM RAIO DE SOL MAIS FORTE SE EXPÔS, VI QUE OSWALDO TENTAVA OLHAR PARA O CÉU, PROCURAVA NÃO DESVIAR OS OLHOS, SEM RECEIO DE CEGAR-SE, JÁ LACRIMEJAVA QUANDO SE DEU POR VENCIDO E COMEÇOU A OBSERVAR UMA VITRINE.
ERA SÓ MAIS UM PEIXE QUE TENTAVA CHEGAR A SUPERFÍCIE PARA RESPIRAR UM POUCO DE OXIGÊNIO PURO, MAS AS PRESSÕES NÃO PERMITIAM, O ARRASTAVAM PARA BAIXO NOVAMENTE, PARA SEU MUNDO SEGURO E LIMITADO. ERA TUDO COMO EM UM AQUÁRIO...





Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui