Usina de Letras
Usina de Letras
78 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60346 )

Cartas ( 21288)

Contos (13386)

Cordel (10358)

Cronicas (22276)

Discursos (3193)

Ensaios - (9712)

Erótico (13520)

Frases (48231)

Humor (19546)

Infantil (4824)

Infanto Juvenil (4173)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139334)

Redação (3115)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2437)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5808)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Artigos-->Bobagens -- 28/08/2005 - 14:56 (Athos R. Miralha da Cunha) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos




Bobagens

Athos Ronaldo Miralha da Cunha



Em um de seus improvisos o presidente Lula afirmou que “em se tratando de bobagem, é melhor a gente dizer do que a gente fazer”.

Mas fazer ou dizer bobagens pode ser um exercício saudável de descontração. Quem não disse algumas asneiras à mesa de um café.

No entanto, Gerson, o tricampeão de 70, jamais imaginou que ao falar “leve vantagem você também” estaria promulgando a Lei de Gerson. - Cerrrto!

João Figueiredo foi profícuo. “Prendo e arrebento” foi a sua mais célebre bobagem dita. Entretanto, também falou que gostava mais de cavalo do que de gente e que daria um tiro na cabeça se tivesse que viver com um salário mínimo. Ao encerrar seu mandato, pediu para ser esquecido. Ironicamente, a história obedeceu.

Rubens Ricupero ao pronunciar a inesquecível frase “o que é bom a gente mostra e o que é ruim a gente esconde”, não imaginou que as parabólicas estavam captando sua desastrosa mensagem. Ricupero nunca mais se “ricuperou” de seu ato falho, mas foi premiado com a embaixada do Vaticano.

Fernando Henrique escorregou numa frase e chamou os aposentados de vagabundos. Uma bobagem gravada em bronze no currículo de FHC.

Nesses tempos de CPI as bobagens pululam no dia a dia. Os embates na comissão são pródigos em asneiras que, posteriormente, se transformam em piada nacional.

Há uma concorrência desleal com os humoristas. Alguém poderia imaginar um deputado flagrado em um aeroporto com sete malas atopetadas de dinheiro. Seriam elas as sete malas da felicidade? Será que o saudoso Rogério Cardoso imaginaria colocar 100 mil dólares na cueca para esconder de sua amada Santinha?

Itamar Franco foi insuperável. A foto ao lado de uma beldade sem calcinha marcou o seu governo. O símbolo de uma verdadeira Frente Ampla ou de uma inquestionável abertura democrática.

Enfim, o presidente Lula pode estar certo. Mas, devido a atual desempenho dos políticos é preferível escorregar com o pé do que com a língua.







Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui