Usina de Letras
Usina de Letras
47 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60287 )

Cartas ( 21286)

Contos (13379)

Cordel (10352)

Cronicas (22252)

Discursos (3187)

Ensaios - (9688)

Erótico (13520)

Frases (48086)

Humor (19493)

Infantil (4789)

Infanto Juvenil (4142)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1344)

Poesias (139190)

Redação (3100)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2436)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5775)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Teses_Monologos-->Monólogo em dó ré mi fá by -- 29/08/2017 - 08:06 (Adalberto Antonio de Lima) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos























Monólogo em dó  ré mi fa by...
 

Amigo,










Faby me convidou também para o grupo de oração. Eu não fui porque estava cansado e sonolento. Tenho dormido pouco e trabalhado muito minha seara. As noites não passam. E em pranto, o galo não consegue mais levantar o canto. Não faz a aurora acontecer. Tudo é tão escuro, e às vezes muito claro como sol noturno. Choro e lamento, com o intento de aliviar a dor. Choro uma paixão que  me atormenta a alma. E me faz sofrer e me deixa feliz, porque sinaliza que estou vivo. Vivo-morto. Morto-vivo.  Morto de paixão. E desse amor se vive. E desse amor se morre.






Adalberto Lima
Imagem: Internet

 













Adalberto Lima












Enviado por Adalberto Lima em 29/08/2017
Reeditado em 29/08/2017

Comentarios
Perfil do AutorSeguidores: 1Exibido 562 vezesFale com o autor