Usina de Letras
Usina de Letras
70 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59666 )

Cartas ( 21255)

Contos (13325)

Cordel (10320)

Crônicas (22226)

Discursos (3169)

Ensaios - (9537)

Erótico (13486)

Frases (47215)

Humor (19420)

Infantil (4626)

Infanto Juvenil (3939)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138778)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5658)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Contrariando -- 03/06/2000 - 15:27 (Amélia Alves) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos


A Mário Lago



Eu sou somente uma moça menina,

uma velha, uma amélia,

uma pena, uma apenas

verdade,

uma vera – cidade,

uma telha, uma casa

que não é só minha,

uma abelha – rainha,

uma amélia sozinha,

sem rei nem zangão,

uma amélia beltrana

fulana e sicrana

e maria etc e tal,

uma herança baiana

de corpo fechado

e cabeça de negro

se abrindo mulata

e qualquer mulher,

uma amélia saudade

de alguns amores

e muitos irmãos,

uma amélia poeta

brincando com versos e ais,

um atalho, uma ponte,

uma veia, uma teia, u

um vaso de cristal

_ uma amélia com sede,

com fome, vaidade,

vontade e o que der e vier,

uma amélia guerreira

com eira e sem beira,

que não acha bonito

não ter o que comer,

uma amélia mulher

pra ser, ter e poder

de verdade!



O que se há de fazer ?

Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui