Usina de Letras
Usina de Letras
24 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62481 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10471)
Erótico (13578)
Frases (50868)
Humor (20083)
Infantil (5501)
Infanto Juvenil (4822)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140912)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6251)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->OS ANIMAIS -- 24/06/2002 - 12:30 (Antológico de Andrade) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos


Vejo ao longe os meus dóceis animais.

São altos e as suas crinas ardem.

Correm à procura duma fonte,

a púrpura farejam entre juncos quebrados.

A própria sombra bebem devagar.

De vez em quando erguem a cabeça.

Olham de perfil, quase felizes

de ser tão leve o ar.

Encostam o focinho perto dos teus flancos,

onde a erva do corpo é mais confusa,

e como quem se aquece ao sol

respiram lentamente, apaziguados.







(EUGÉNIO ANDRADE)

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui