Usina de Letras
Usina de Letras
74 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60375 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22278)

Discursos (3194)

Ensaios - (9719)

Erótico (13520)

Frases (48275)

Humor (19560)

Infantil (4832)

Infanto Juvenil (4183)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1346)

Poesias (139391)

Redação (3121)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5814)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Feelings -- 13/08/2002 - 13:36 (Augusto Cezar Veloso) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
FEELINGS



Sinto muito!!

Desculpe, Mas Sinto mesmo,

Sinto a inveja do pouco que tenho,

Sinto o frio de uma comunidade feita de silício,

Sinto que as revoluções não trouxeram nada construtivo,

Sinto pena de mim mesmo,

As vezes me Sinto leve como a seda,

Outras vezes me Sinto como alguém que cometeu o mais hediondo dos crimes,

Me Sinto assim,

Preso ou sem Cinto,

Com Sentimentos a flor da pele,

A Cada fato Sinto,

A Cada Tapa Prescinto,

Que isso não vai acabar assim,

Dessa forma não vai,

Eu quero Deus de volta,

A Ciência não sente o que eu Sinto,

Eu prefiro as fábulas,

Que me assustavam quando criança,

Porém, me traziam Tranqüilidade.

Desde que apreendi a pensar, Sinto mais...

Mais vontade de Apreender Mais...

É como uma droga,

Pois, ambas lhe dão uma sensação de prazer momentânea,

E no fim Você Sente sua impossibilidade de mudar as coisas,

Me Sinto um velho,

Sinto que não tenho muito ar para respirar agora,

Sinto que meus sonhos são de consumo, porém sou eu quem é consumido,

Sinto que tenho poucos amigos, pois minhas verdades consumem as pessoas...

E elas não se sentem bem com isso....

Fogem....

Acovardam-se....

Sinto que não me adaptei nem á chegada da infância, nem a da adolescencência,

Muito menos da idade Adulta,

Em razão desta Pequena Complexidade me sinto um Velho...

Tão velho e conservador que ainda acredito que homem seja bom...

Como podem os fins justificarem os meios?

É só verificar a corrupção de minha alma...

Tão conflituosa e tão desviante em seus meios,

Que lembram os galhos de uma longa árvore, sem topo...

Sinto que Talvez morra sozinho,

Isso não me impede de lutar contra isso,

Pois, no meu peito revoltoso, não falta valentia...

E cordialmente a covardia...

A lógica é que como sou uma bomba sem hora para derrocar,

Porque alguém perto de mim deveria ficar???

Minhas linhas são assim tão desordenadas e tão imperfeitas,

Por isso ás vezes me Sinto Humano...

Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui