Usina de Letras
Usina de Letras
67 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59663 )

Cartas ( 21255)

Contos (13325)

Cordel (10319)

Crônicas (22226)

Discursos (3170)

Ensaios - (9535)

Erótico (13486)

Frases (47209)

Humor (19420)

Infantil (4621)

Infanto Juvenil (3937)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138768)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5656)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Lírios e Delírios -- 22/08/2002 - 20:35 (Abrahão Figueira) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Teu olhos miram meus olhos

Tua boca alia-se a minha

Teu corpo junto ao meu corpo

Como um encaixe de um quebra-cabeças

De baixo de um firmamento iluminado pôr

Estrelas que brilham no infinito do universo

E mais um verso, é a lua que clareia

A noite turva nos campos, vales e jardins

Dois valores, um enlace, duas flores

Que se fundem e fecundam mais beleza

Na harmonia da natureza,

Onde as cores são diversas e as origens mais dispersas

No ínfimo da criação, do criador das rosas

Das margaridas á luz do arrebol

Da aurora brilhando feito aurora em nós

Igual aos santos!

Só que loucos e cegos de amor!

Sem defeito que nos separe,

Sem veneno que nos amargue,

Sem corretivo que nos apague

E sem medo de não enxergar o que virá

Olhos que dispensam colírios!

Dos jardins os Lírios, dos desejos

Os Delírios...





Gaspar 22-08-2002

e-mail : abrahãofigueira@bol.com.br

Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui