Usina de Letras
Usina de Letras
54 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60367 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22277)

Discursos (3194)

Ensaios - (9716)

Erótico (13520)

Frases (48255)

Humor (19555)

Infantil (4830)

Infanto Juvenil (4180)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139367)

Redação (3119)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5812)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Das Ameixas -- 13/04/2002 - 20:15 (Alexandre da Silva Galvão) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Eu costumo sentar na varanda pra ficar vendo e ouvindo as pessoas e os passarinhos. O sol que bate aqui de tarde é meio maroto, engana o frio e sorri pra ele ao mesmo tempo, uma delícia...
Hoje eu relaxei na cadeira e comecei a bisbilhotar os quintais vizinhos. Tem uma ameixeira carregadinha bem aqui em frente. Eu me vejo, garoto, pulando cheio de medo aquele murinho lateral e subindo até o galho mais alto só pra pegar a maior e a mais bonita de todas as ameixas. A melhor ameixa é sempre a mais difícil de ser alcançada. Não sei por que, toda vez que eu alcançava, vitorioso, a rainha das ameixas, ela não parecia mais tão grande, tão apetitosa...
Mas as pequenas decepções não estragaram essas aventuras, que não foram tantas, mas que perfumaram de forma indelével o meu baú.
Eu me lembro das pernas arranhadas, de uma alergia que me fazia coçar todo o corpo, do perigo de ser visto, do galho quase quebrando, do cheirinho da ameixeira que já era também o meu próprio cheiro, as disputas com os marimbondos, as aranhas...o medo... ah! aquele medo... O meu coração palpitava ... eu sorria...

É...
Vamos à próxima ameixa...
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui