Usina de Letras
Usina de Letras
61 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59565 )

Cartas ( 21248)

Contos (13280)

Cordel (10314)

Crônicas (22226)

Discursos (3166)

Ensaios - (9519)

Erótico (13500)

Frases (47111)

Humor (19394)

Infantil (4585)

Infanto Juvenil (3881)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138624)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2431)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5637)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Infantil-->O café quente -- 23/10/2013 - 12:44 (Brazílio) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Eles nasciam sadios mas poucos eram os que escapavam àquela doença: vinham

umas bolinhas em torno dos olhos, que se iam espalhando pela cabeça e antes que

passassem daquela fase ainda tenra da infância, seu destino já estava selado.

Pobres pintainhos.

E devia até ser uma doença simples de se combater, mas que é de aparecer ali algum

técnico ou prático agrícola instruído, dando explicações, folhetos e algumas amostras

grátis de medicamentos que poderiam ter salvo muitas vidas. Umas poucas gotas na

água, e quem sabe?

E a enfermidade se agravava nos meses mais frios e secos, o que não impedia àquelas

avezinhas de andar atrás de migalhas, farelos, restinhos ou mesmo a presença da

meninada que de manhã, ainda com cobertas nas costas ia pro quintal "quentá" sol

enquanto tomava o café matinal. Que não era nada dum breakfast at Tiffany`s mas

que baseado no café passado na hora, e no pão de sal com manteiga, revigorava até

a alma, dando um novo alento para se começar o dia, ainda que fosse tempo de férias

escolares.

E o Juca acordou mais cedo, ou foi mais tarde naquele dia? Mal se sabia, mas a

verdade é que foi tomar seu café sozinho, empoleirando-se no topo do barranquinho

que levava ao "quarador", até que se viu cercado de pintainhos - chatinhos.

O que se viu a seguir foi um deles agonizante, bem ao pé do barranco. E Juca, com

suas botininhas de couro foi franco: não foi nada gente, o que caiu nele foi café

quente.
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 24Exibido 171 vezesFale com o autor