Usina de Letras
Usina de Letras
73 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60363 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22277)

Discursos (3194)

Ensaios - (9715)

Erótico (13520)

Frases (48250)

Humor (19552)

Infantil (4829)

Infanto Juvenil (4179)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139360)

Redação (3118)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5812)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Subversão -- 01/07/2002 - 23:23 (Ana Cristina Almeida Vilela) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Subversão

Não queria trabalhar, acordei, eu Iago da Silva, decidido a ficar em casa, certo de recusar o todo que me entregam em um pacote fechado: trabalho, casa, comida, dinheiro. Trabalho de dia; de noite cama; de manhã, café da manhã; sábado, cinema; domingo, almoçar fora, ir à igreja, passear no parque; aos 20, faculdade; aos 25, bom emprego; aos 28, casamento; aos 30, filhos. Trabalho, casa, café da manhã, jantar, almoço, despertador, acordar cedo, trabalhar, comer, dormir, ganhar dinheiro, estudar, sorrir, chorar, assistir TV, comer pipoca no cinema, usar terno e gravata, ter carro de luxo, assistir TV, sexta-feira beber cerveja, sair para dançar, assistir TV.
É isso! Não vou trabalhar hoje. Foda-se o mundo, foda-se a TV, foda-se o roteiro mundial! Trimmmmmm.... É o despertador. Foda-se você também. Trimmmmm...... Um martelo. Vap! Adeus trimmmmmmmm. Vou dormir.
Será que posso mesmo ficar aqui, dormindo às onze da manhã de uma segunda-feira? É segunda, tic tac tic tac tic tac, diz o relógio, tic tac tic tac. E toca o telefone. Aló! E sou obrigado a ouvir: O senhor tem cartão de crédito? Não! Não tenho e não quero, bom dia.
Ora, essa é boa, cartão-de-crédito! Cartão-de-crédito, fatura no fim do mês, divide aí moço, não tenho grana, dívida, cartão de crédito = dinheiro que não se tem, mas que se pensa que tem. Bota no cartão! Cartão-de-crédito, dívida, dor-de-cabeça, dinheiro para as administradoras de cartão.
Vou comer, mas o que comer às onze e meia da manhã??? Pão, leite, café... Não!! Sorvete de creme com morangos e cobertura de chocolate. Hummmmm...... perfeito. E o chocolate escorre pelo canto da boca. Perfeito! Uma obra de arte expressionista. Pijama, sorvete de creme com chocolate, chocolate caindo da boca às onze e quarenta e cinco de uma segunda-feira. Legal!
Trimmmmmm..... Dá-lhe Grambel, você deve ter sido um cara legal. Aló! Aqui é da casa de assistência tal e tal e tal, o senhor poderia nos ajudar com uma contribuição mínima de .... Claro! Ajudo, mas a senhora pode me fazer um empréstimo? Não? Então não posso colaborar e, além do mais, como a senhora me garante que vai ajudar a essa tal casa de assistência aí... O senhor recebe comprovante pelo correio.
E acham que sou imbecil. Toc toc toc... Oi. Bom dia. Pois não? Estamos dedetizando o prédio, como o senhor está em casa, então... Olhe, você não está me vendo, eu não estou em casa e esta porta não foi atendida, certo? Então vamos fazer o seguinte: você vai saindo de costas, de fininho, eu fecho a porta, você para em frente a ela e pensa: É, eu acho que não tem ninguém. E vai embora. Isso! Bom dia para você também.
Ufa! Como é difícil ficar em casa segunda de manhã. Vamos ver.... já sei! Ver TV. Desenho, desenho, pregações evangélicas, pregações, polícia, morre aqui matam-se ali, receitas, como pintar sua mesa velha, faça flores artificiais em casa e ganhe dinheiro, emagreça sem fazer força, compre, compre, compre. Comprar! Um verbo bem interessante, do latim, comparare = adquirir usando dinheiro. Moda nova, roupa nova, mini-saia no verão, gola alta no inverno, carro novo em qualquer estação, sapato novo, celular novo, jóias novas. Eu compro, você compra, nós compramos, ele compra, ela compra, todos compramos. Tudo novo, idéias velhas.
Vou sair, segunda-feira é um bom dia para ficar à toa pelas ruas, comer pipoca no parque, ir ao cinema, brincar no parquinho infantil. O senhor é muito grande para brincar aqui, não pode. Como não? Só tenho 1m60 e sou grande? Vejam só. Só quero ir para a gangorra, balançar para lá e para cá, sentir o vento e tal e coisa. Por que só as crianças podem fazer isso? Porque isso é coisa de criança e o senhor já é bem grandinho, não trabalha não, não estuda, não faz nada? Faço, estou fazendo agora, exatamente agora: nada! Posso balançar só um pouquinho, por favor? Está bem, mas se estragar o senhor paga. Pago sim, pode estar certo, se estragar a culpa será toda minha.
Ahhhhh!!!!!!!!!!!!!!!!!! Que maravilha. Você não pode me balançar não? Quero ir mais alto! Mais! Mais! Mais! Se for mais alto o senhor vai cair. Não vou não e se cair não tem problema, não passo do chão. Vamos, mais alto!!! Isso! Uhuuuuuu!!!!! Será que consigo pegar os dedinhos de Deus? Olhe ele lá, está se rindo todo para mim. Não diga isso, é blasfêmia, o senhor não tem medo de dizer estas coisas, Deus rindo? E por que Deus não pode rir, se rir é tão bom. O senhor sabe rir? Não? É assim ó: o senhor estica os lábios, isso, mais, mais, abra a boca um pouco, isso! deixe os dentes aparecerem, assim, muito bem! agora solte sons, assim, vou te mostrar rararararararara!!!! Não é bom?? É sim, mas será que Deus faz isso? Claro e também brinca no balanço, não vê?? O quê? Deus no balanço? Qual balanço? O balanço, lá, veja só, entre as nuvens, ele está lá, veja um balanço branco e fofo. Viu? Rararararararararara !!!! O senhor é louco, não vejo nada! Pode ser, mas agora tenho que ir. Vai trabalhar? Não vou não, vou ao cinema. Mas o senhor não trabalha? Estou trabalhando.
Por favor uma entrada para o filme tal. Mas, senhor, não tem sessão a esta hora. Só às quatorze horas, a esta hora ninguém vem, está todo mundo no trabalho. Hummmm.... Está bem, uma entrada para as duas horas. Posso almoçar no cinema? Claro que não! Mas, por que, se podem comer pipoca e chocolate e balas? Senhor, é que é proibido. Mas por que é proibido? Bem... vou chamar o gerente. Mas como, você me diz que algo é proibido e não sabe dizer o porquê. É que... senhor, eu só atendo aqui e mando fazer o que mandam que eu mande fazer, entende? Sei, sei, te entendo sim. Segunda, trabalho, terça, trabalho, quarta, trabalho... sábado, cerveja, domingo, macarrão. Entendo, claro. Mas o senhor tem certeza de que não sabe por quê? Bem.... eu acho que é porque as pessoas deixam cair comida, sujam tudo, aí, o senhor já viu né? Viu, como você sabia e não sabia que sabia?
Cinema, shopping, shopping, cinema. Por que os cinemas têm que estar nos shoppings e os shoppings nas cidades? Bem que podiam estar no meio do campo, entre as vacas e os cavalos. Imaginem a cena: vacas andando de escada-rolante, cavalos indo ao cinema, cabras e cabritos comprando roupas, carneiros e ovelhas comprando sapatos, béeeee, acho que este está apertado.
Enquanto espero o cinema, vamos ver, o que fazer em uma segunda às treze horas? Almoçar, comer, comer muiiittoo, beber vinho, comer massa até estourar. Moço, por favor, dois desse. É para duas pessoas? Não é só para mim mesmo. Mas, senhor, não é muito para única pessoa? Pode até ser para outra pessoa, mas não para mim. Quero dois desses e uma garrafa de vinho, por favor. O senhor vai morrer. Façamos o seguinte, se eu morrer você chama uma funerária, está bem?
Ótimo! Almoço e cineeemmmaaa! Filminho, nada de pipoca afinal, mas um fone de ouvido e uma música vão bem. Última fila, mais alta, sem cabeças à minha frente. Boa tarde senhor, me dê licença? Claro, por favor, sente-se senhorita. O filme vai começar... Eu sei. O senhor não vai tirar o fone de ouvido? Não, adoro esta música, quer ouvir? Não? Que pena, ia adorar. O senhor não vai conseguir acompanhar o filme. Só quero ver as imagens, inventar as falas, fazer meu próprio roteiro.
E então, o que achou do filme senhor? Fantástico! Já eu não gostei não, roteiro fraco, trilha sonora sem graça... Como?? O roteiro é fantástico e a trilha perfeita, você está louca! Meu deus, como tem loucos no mundo.
Bem... quatro e meia da tarde, hora de dormir, como meu relógio biológico exige oito horas por dia, meia noite acaba minha noite. Ótimo! Hora de dormir. Ahhhhhh!!!! Cama! Trimmmmmmmm..... Aló! Você não vem trabalhar não? Mas, a esta hora da noite, o senhor está louco? Como??? São quatro da tarde. Então, hora de dormir. Então durma, mas durma hoje, amanhã e depois de amanhã, porque você está na rua!!!!!
Legal, desempregado de novo! E lá vou eu - terno, gravata, currículo embaixo do braço, oito horas da manhã trimmmm despertador novo, tic tac tic tac, relógio, terça, trabalho, quarta, trabalho, quinta, trabalho, sexta, trabalho, sábado, geladeira vazia, bolso vazio, trimmmm, roteiro mundial, TV por assinatura, macarrão no domingo, trimmmm, tic tac tic tac...




Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui