Usina de Letras
Usina de Letras
52 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59573 )

Cartas ( 21248)

Contos (13281)

Cordel (10315)

Crônicas (22226)

Discursos (3166)

Ensaios - (9519)

Erótico (13500)

Frases (47116)

Humor (19397)

Infantil (4586)

Infanto Juvenil (3883)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138630)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2431)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5638)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Infantil-->Volta ao Mundo com Judith (XLIII)) -- 28/04/2020 - 22:07 (Brazílio) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

Volta ao Mundo com Judith (XLIII)



Pros Cocos...? Vamos nessa...! Mas atenção ilhas denominadas Cocos, o google registra pelo menos seis delas, porquanto Coco, só, no singular, são três. Mas para aumentar a confusão é bom lembrar que praticamente todas as ilhas tropicais e subtropicais do planeta, e elas se contam aos milhares, se não são predominantemente de coqueiros, são quase que invariavelmente orladas por esta preciosa espécie vegetal...

A Isla del Coco que vamos visitar hoje  pertence à Costa Rica, país do istmo centro-americano que se distingue de seus congêneres vizinhos e distantes até, por ser um país que decidiu abolir suas Fuerzas Armadas, e dedicar-se à educação, à saúde, à paz, e ao progresso. E que ainda não experimentou regime ditatorial...

E a ilha de Cocos, na costa do Pacífico, está a 550 kms do território costarricense e a 1.000 kms da costa colombiana. Tem 24 km2, com uma superfície bastante acidentada e o curioso formato de um quase retângulo. É desabitada. Sua descoberta por um navegante Juan Cabezas deu-se em 1526 e em 1.897, um filho de alemães, August Gissler tornou-se governador da ilha, com o propósito declarado de a colonizar, por meio de sua empresa Cocos Plantation Company, mas, acima de tudo, movido pela fixação de encontrar tesouros piratas cujos relatos abundavam ao longo de sua história.

A despeito de, juntamente com uma meia dúzia de famílas alemãs, haver cultivado café, fumo e cana de açúcar na ilha, o fim precípuo de sua "colonização", foi cavar, cavar e cavar. Ao cabo de 16 anos passados na ilha, o balanço foi pífio: encontradas 36 moeadas de ouro e uma luva do mesmo metal...

Picaretagem por picaretagem não é melhor seguir viagem...?
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 24Exibido 47 vezesFale com o autor