Usina de Letras
Usina de Letras
26 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62475 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50863)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140908)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6250)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Por desdém, bate mais meu coração. -- 18/01/2003 - 22:45 (Elpídio de Toledo) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos


























Aperto. Você confessa



o que não quero ouvir:



o Outro, que me estressa.





São as novas poesias



que procuro em você.



As antigas alegrias



nunca vou lhe esconder.





Que espero, se outro tem?



Que chore por mim? Oh, não!



Perdôo-me. Por desdém,



bate mais meu coração.





E quem nada me indaga,



para não se revelar,



meu coração não afaga,



nem pode mais me amar.





Sim, terminemos assim.



Outro, não nós, o feliz.



Fui traído neste fim.





Outro Ser será você,



mas, eu nunca me fundi,



para seu amor eu ser,



como o que ora ri.





Amiga, hoje é só,



quem me deu muita alegria.



Não passa de pobre nó,



que desato todo dia.





Isso não é um problema,



por não pedir solução.



É, apenas, uma teima



da fé, num pobre pagão.





Quisera que poesia,



como pedra levantada,



mostrasse minha alegria,



quando você foi amada.




Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui