Usina de Letras
Usina de Letras
25 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62472 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10468)
Erótico (13578)
Frases (50857)
Humor (20082)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140897)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6247)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->AMADA -- 25/01/2003 - 02:41 (Elpídio de Toledo) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
































Amada, que é isso que faz

a gente pensar tanto sem ficar,

sem ser demais perspicaz,

deixando a nossa graça a rolar.





Amada, sou retalhos de lembranças,

sonho que estou sorrindo,

estou cheio de esperanças,

minha ambição está fluindo

por todo o meu semblante.



Orvalhos de amor lhe acordam,

leia bem o que à-toa, mesmo longe, faço

para religar-me.



Amada, creia que posso me lembrar

quem eu era, a alegria, o destemor

para ler seus beijos e seus poemas de saudade.

Lembro-me de você, de como a coragem lhe percebi,

sua força nos abraços, sua vontade

de receber mel e, depois, sorrir.



Amada, curo-lhe a alma

daqui, sem nada fazer.

Apenas, abro meus braços.



A criança sempre leva a sério o que faz,

e não tem medo de cair

no mundo do adulto, você é capaz.



O mundo que me cerca são os meus próprios limites,

guio-me pelo que sei e pelo que posso,

segundo minha graça,

sem querer prender-me em sua fantasia.



Amada, que ressoa mais do meu corpo, a não ser

um sorriso de criança,

por lembrar-me de você,

sempre que vejo o dia renascer?

Esta é a verdadeira esperança?



Nada mais me alucina,

nada me entristece,

a madrugada menina

é que me rejuvenesce.



Amada, que prazer o meu,

do meu ser e do meu não-ser,

do reverso de mim que vai até você,

sem que você saiba

que lhe beijo todas as noites,

quando você já está à mercê

de outras dimensões.





Não, não me enlouqueço, estou sempre aí,

vigilante, para que você não se desespere.

Sua deusa tem o mesmo limite da minha.

Tendo uma rosa, é assim que você não se fere,

ela se abre sempre que você se lembra de mim.





Amada, os deuses desprezam o pasmo

que a surpresa traz de cada trilha.

Não os ouça,

não se magoe.



Pouco vejo além disso,

entre nossas linhas e nossas sombras

há um mundo que, por entre nós, perpassa.



Nada tem de insano,

só desejo intenso,

coisa de humano,

de ser infenso,

que nos convida

para o amor

e a paz perdida.


Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui