Usina de Letras
Usina de Letras
62 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59808 )

Cartas ( 21263)

Contos (13364)

Cordel (10327)

Cronicas (22226)

Discursos (3173)

Ensaios - (9574)

Erótico (13486)

Frases (47466)

Humor (19436)

Infantil (4676)

Infanto Juvenil (4003)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138983)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2436)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5702)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->IMMORTELLE II - O CAMINHO DA ETERNIDADE -- 25/01/2003 - 14:08 (Alexandre Marcos Seolim Rodrigues) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Posso assegurar, porque eu mesmo vi,

Um homem enorme, tremia na solidão

E a noite avançava, como em asas de colibri,

Sem piedade alguma, carregando desolação.



E mesmo as flores mais sonolentas,

Que sob o negro véu, seus sonhos acalentam,

Puseram-se num abraço, com feições horrendas.

Sentiam o medo que os corações humanos engendram.



A lua, olho de cristal, se escondeu

Entre as cortinas nebulosas do espaço

E uma mão de estrelas, em constelação, escreveu

Palavras de dor, morte e fracasso.



Um furacão, de asas escuras, esvoaçou,

Tremeu os chãos de horizonte a horizonte.

O beijo demoníaco, as faces rubras tocou

E em meio aquele inferno, apareceu a ponte.



O homem trêmulo vestiu-se de coragem,

Ganhou garras e tornou-se alado,

Viu além, uma bela folhagem,

Cruzou a ponte, ganhou o outro lado.



Ali, o silvo da vida estrondou.

A paz, como um lençol de linho,

Estendeu-se e seu sorriso decorou

Todas as pedras daquele caminho.



Meu olhar vibrante, assim, entendeu.

O homem que tremia naquela solidão,

Era um homem jovem, era eu.

Tornou-me o peito triste, pura contemplação.



Sim, o homem que tremia, o homem que era eu,

Respirou as mentas, bebeu a serenidade,

Tomou a tocha eterna e acendeu

As fagulhas vivas da eternidade.

Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui