Usina de Letras
Usina de Letras
59 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59808 )

Cartas ( 21263)

Contos (13364)

Cordel (10327)

Cronicas (22226)

Discursos (3173)

Ensaios - (9574)

Erótico (13486)

Frases (47466)

Humor (19436)

Infantil (4676)

Infanto Juvenil (4003)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138983)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2436)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5702)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Comunique-se -- 27/02/2003 - 09:44 (André Mariano de Almeida) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Eu sei, as vezes é inútil falar.

O mundo tem tantos ouvidos que é bem posível

Que ele não te escute.

Mas fale assim mesmo, sem objeção aos materias

Que se condensam na recepção da tua voz aguda,

Teus verbos precisam manterem-se vivos

E para isso é preciso que fales.

Receita tua oratória aos canais que passam

E vão se hospedar na órbita ensurdecedora de um

[ silêncio

Ali plantas se projetam para o leite, dão à luz

Criaturas sem óculos atrás dos olhos

E o champagne da tua voz embriaga as prateleiras,

As células de uma vértebra de escape, que escapa

Entre os dedos, cora as faces e se implanta

Na paisagem constituída após a lenda.

Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui