Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
158 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59134 )

Cartas ( 21236)

Contos (13113)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46517)

Humor (19281)

Infantil (4460)

Infanto Juvenil (3726)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138234)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5525)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->O ANIVERSÁRIO DE ALMIR ALVES -- 26/12/2003 - 11:45 (Benedito Generoso da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. O ANIVERSÁRIO DE ALMIR ALVES

Se traz o dia de hoje
Muitos aniversariantes,
Um dentre eles se destaca
Para os da poesia amantes:
Olhos de Almir Alves Filho
Que entre nós têm seu brilho
Estão muito mais brilhantes.

Se nascesse um dia antes,
Isso seria normal,
Entretanto ele não quis
Ser de Cristo um rival,
Não gosta de aparecer,
Então resolveu nascer
Um dia após o Natal.

Nesta data especial,
Quero saudar esse mestre
Que um dia me avaliou,
Quando aqui eu fiz um teste,
Dizendo em tom incisivo
Que o cordel não é exclusivo
De quem nasce no nordeste.

Eu sei que um cabra da peste
Nesta arte sempre vence,
Pois já nasce ouvindo versos
De quem a verve pertence;
Almir Alves veio à luz
Abençoado por Jesus
E não foi cena circense.

Filho de um piauiense
E de mãe paraibana,
Por isso quem o aplaude
De antemão não se engana,
O seu estro não desmente,
Ele canta e encanta a gente
E com todos nós se irmana.

Todo dia da semana,
Ultimamente é assim,
Sempre leio um texto seu
Porque sou fã dele sim,
Ele escreve e não futrica
E tudo quanto publica
Tem princípio meio e fim.

Almir Alves para mim
É como se fosse irmão,
Como já disse, chequei
Sem rumo nem direção
E dentre outros usineiros
Ele foi um dos primeiros
Que me estenderam a mão.

Devo-lhe obrigação
Por ter-me indicado a pista
Na arte de cordelar,
O sonho deste paulista;
Eu resido em Londrina
E ele em Teresina,
Mas não o perco de vista.

Que é um versátil artista,
Dizer é desnecessário,
Mas embora não se gabe,
Foi mestre universitário,
Além de autor renomado,
É professor pós-graduado
Em Direito Tributário.

Neste seu aniversário,
Cumprimento-o e me despeço
E lhe dando os parabéns,
Numa oração também peço
Que Deus sempre o ajude
Com longa vida e saúde,
Muita paz e mais sucesso.

BENEDITO GENEROSO DA COSTA

Leia de Almir Alves:
EU, O CORDEL E VOCÊS







Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 101Exibido 844 vezesFale com o autor