Usina de Letras
Usina de Letras
77 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60342 )

Cartas ( 21288)

Contos (13385)

Cordel (10358)

Cronicas (22275)

Discursos (3191)

Ensaios - (9711)

Erótico (13520)

Frases (48222)

Humor (19544)

Infantil (4823)

Infanto Juvenil (4171)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139323)

Redação (3114)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2437)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5804)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Vinho niilista -- 12/04/2003 - 23:40 (Alyne Roberta Neves Costa) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos


Eu choro a dor que chora na viola

E pouco me importa se de mim zombam

Eu morro aos poucos numa gaiola

Faço versos que agora assombram



Eu choro porque não desisti de amar

E sou motivo de riso e heresia

Invento um regato na beira do mar

As orcas bailam pela hipocrisia



Eu choro porque amo e não amo por preguiça

E não me importa os que me perderam

Eu choro as contrações de toda injustiça



Eu vejo um manual, compaixão egoista

Como superar as chagas da paixão?

Entre o doce e o mel...O vinho niilista.



Ssa, 11 de abril de 2003
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui