Usina de Letras
Usina de Letras
55 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60374 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22278)

Discursos (3194)

Ensaios - (9719)

Erótico (13520)

Frases (48266)

Humor (19559)

Infantil (4832)

Infanto Juvenil (4183)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139383)

Redação (3120)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5813)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->O vento -- 24/04/2003 - 00:14 (Adriane) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Lá estava ele,

filho indomável da natureza

Incolor, temperamental e livre

Em todos os momentos ruins,

ele levava minhas mágoas e tristezas

para um lugar muito longe



Todos os dias ele vinha me visitar

Às vezes calmo, às vezes forte

Envolvia-me com surpresas,

mas logo ia embora

sem deixar rastros



Ele podia também me assustar

quando vinha como furacão

Minha alma parecia estar no inferno

enquanto meu corpo,

aprisionado pelo diabo



Mas o que eu mais gostava

era quando ele vinha calmo

e conversava mansamente comigo

Palavras recheadas de poesia

Palavras doces que contornavam a mente

e exalavam no coração



Este era o meu melhor amigo

Meu único e maior consolo

Como um filho legítimo

Lamento não mais vê-lo

nem ao menos senti-lo

Aqui onde vivo,

no interior de minha alma obscura,

só vejo uma brisa negra

que me aterroriza, me alucina
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui