Usina de Letras
Usina de Letras
66 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60375 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22278)

Discursos (3194)

Ensaios - (9719)

Erótico (13520)

Frases (48275)

Humor (19560)

Infantil (4832)

Infanto Juvenil (4183)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1346)

Poesias (139391)

Redação (3121)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5814)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Contos-->OVNIS -- 13/02/2003 - 15:55 (Anadyr Adorno) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Continuamos nosso caminho eufóricos, e ao fazer outra curva (100 metros depois), notei que atrás do barranco à nossa direita havia um clarão muito forte. Perguntei ao daniel, que estivera na região outras vezes, se havia por lá uma cidade? respondeu que nao havia. Paramos o carro, descemos e subimos o barranco, nao tinha mais de um metro, logo em seguida existia uma cerca donde se divisava um vale; tinha uns 10 metros de declive e uns 1000 metros de extensão.
Levamos um tremendo susto, a uns 100 metros de nós e a mais ou menos 3 metros do chão (pairando no ar), estava uma Nave Mãe, toda iluminada, com várias vigias; parecia um capacete de caçador. Em baixo do UFO, vários seres, ETs, andavam de um lado para o outro, pareciam examinar o solo.
O Clark foi o primeiro a falar: que loucura, vamos até lá?
Eu me sentia como um homem da idade da pedra vendo um helicóptero, respondi: eu nao vou de jeito nenhum, estava com medo, ouvir falar é uma coisa, chegar perto é outra.
Nenhum dos quatro marmanjos quis sair do lugar; ficamos cerca de uma hora observando e depois, cansados e assustados (com paura), resolvemos ir para o sítio dormir; O que poderíamos realmente era sair dali, logo.
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui