Usina de Letras
Usina de Letras
25 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62475 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50861)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140903)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6251)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Separação fatal -- 05/08/2003 - 10:42 (Elpídio de Toledo) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Clic’ali>> Como jogar o tênis melhor que o Guga























Como nos livrar dela,

dessa negatividade?

Jogue-a pela janela,

é pura futilidade.



A separação fatal,

ou uma dor permanente,

sofrimento corporal,

pede a luz do presente,



e sua resignação.

Profunda inconsciência

recebe transformação

pela luz da consciência.



Da comum inconsciência

nos livramos já, de vez,

quando tomamos ciência

da grande insensatez



dos padrões que não queremos,

que podemos descartar,

pois uma escolha temos,

sem nos automatizar.



Não somos, jamais, uns feixes

de ecos, condicionados,

nem vivemos como peixes,

por barrancos bitolados.



Você nega o presente,

acha que ele é mau,

e cria em sua mente

o pior emocional.



Seja lá o que sentir,

qualquer coisa percebida,

você deve consentir

que está sem a guarida



da consciência total,

e não pode escolher

o que fazer, é fatal,

cuide só de receber.



Se pudesse escolher

entre dor e alegria,

desconforto e prazer,

entre paz e guerra fria,



por acaso, optaria

por um pensar bem nocivo,

ou de sentir gostaria

dum momento negativo?



A emoção negativa

nos tira do natural,

da nossa consciência viva,

do bem-estar, eis o mal.;



qual a dor estomacal,

ela é a dor concreta,

e nunca é opcional,

há recidiva completa.



No século mais recente,

mais de cem milhões morreram.;

à força do inconsciente

os seus algozes cederam.



E as torturas , também,

— físicas, emocionais

e mentais— ao homem vêm

e chegam aos animais.



Será que os seus autores

agem no seu bem-estar

e cônscios dos seus humores,

quando pensam em matar?



Mas está claro que não.

Só um estado profundo

de completa negação,

dos que destroem o mundo,



justifica tal ação.

São pessoas empenhadas

em destruir, sem razão,

pela mente sufocadas.



E a espécie humana,

—não julgamos, é um fato—

é doente e insana,

faz o mundo insensato.



Mas, por baixo da loucura,

lá está a sanidade,

pronta pra quem a procura,

quer cura e liberdade.



Aceito o ressentir,

o mau humor ou a ira,

você não quer prosseguir

costurando tal cuinhira.



Praticando o ceder,

a aceitação passiva,

é preciso dissolver

a emoção negativa,



de maneira decisiva,

sem que haja ilusão,

e não haja recidiva.

A simples aceitação,



o não passar emoção,

faz o ego tolerar

tristeza, separação,

mas não traz seu bem-estar.



Quando o pensar que nega

vem em primeiro lugar,

é sinal que mente cega

inda vai predominar.



Não houvesse julgamento,

não houvesse resistência

ao que simplesmente é,

surgiria consciência,



pensamentos negativos

não surgiriam jamais,

e os padrões recidivos

fechariam seus canais.



Pare de se defender,

dizendo que tem direito

de ser incônscio, sofrer,

ao dar tudo por aceito.



Percebendo um sabor

gostoso, mas que faz mal,

há quem sinta muita dor,

mas não sai do seu canal.





Clic"ali===>>>Com terra ninguém lhe cobriu...































Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui