Usina de Letras
Usina de Letras
71 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59659 )

Cartas ( 21254)

Contos (13324)

Cordel (10319)

Crônicas (22226)

Discursos (3169)

Ensaios - (9535)

Erótico (13486)

Frases (47208)

Humor (19419)

Infantil (4619)

Infanto Juvenil (3936)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138766)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5656)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Adeus e Festa -- 17/08/2003 - 20:41 (ARTHUR ACCIOLY PEREIRA) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Adeus e Festa




Nem o adeus nem a festa são para mim

O Abraço não é frio, nem quente.

Quantos abraços mornos.



Eu vivo tão itensamente como um morto.

Logo eu que só queria o carinho do mundo todo

Dos amigos, dos amantes,

dos cachorrinhos, dos conselhos,

das confidências...

Quanto carinho há em uma confidência...



Eu me sinto a personificação de tudo aquilo que não gosto, não tolero, que temo.

Eu corro de mim, só assim sinto algum sangue pelos meus músculos, algum ardor nos meus lábios, algum motivo para morver-me, mudar-me, agir.



Nem as tapas agitam minha tranqüila frieza

Nem os tiros despertam em mim o instinto da fuga

Nem eu consigo perceber o quanto estou só

Estou mais só do que suporto.

Mais só do que eu mereço.

Mais só do que eu imaginei que um dia ficaria.







Só...







.










FALE COM ARTHUR



Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui