Usina de Letras
Usina de Letras
49 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59535 )

Cartas ( 21249)

Contos (13255)

Cordel (10311)

Crônicas (22246)

Discursos (3167)

Ensaios - (9502)

Erótico (13498)

Frases (47007)

Humor (19368)

Infantil (4542)

Infanto Juvenil (3856)

Letras de Música (5495)

Peça de Teatro (1339)

Poesias (138618)

Redação (3072)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2430)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5613)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Artigos-->Olavo Bilac* -- 31/12/2018 - 12:07 (Benedito Pereira da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Olavo Bilac*





Evocando o inexcedível Olavo Bilac, na passagem, neste mês de Dezembro de 2018, do seu Centenário de Falecimento (Rio, 28/12/1918), - a homenagem dos escritores brasileiros e de todos os quanto amam o nosso idioma, aplaudindo e perpetuando o seu poema cívico a Língua Portuguesa: * Última flor do lácio, inculta e bela / És, a um tempo, esplendor e sepultura / Ouro nativo, que na ganga impura / A bruta mina entre os cascalhos vela. / * Amo-te assim, desconhecida e obscura / Tuba de alto clangor, lira singela / Que tens o trom e o silvo da procela / E o arrolo da saudade e da ternura. / * Amo o teu viço agreste e o teu aroma / De virgens selvas e de oceano largo / Amo-te, ó rude e doloroso idioma. / * Em que dá voz materna ouvi: "meu filho / E em que camões chorou, no exílio amargo / O gênio sem ventura e o amor sem brilho.





* Brasília, 31/12/2018. Informado pelo escritor e jornalista Adirson Vascocelos.
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 24Exibido 62 vezesFale com o autor