Usina de Letras
Usina de Letras
28 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62472 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10468)
Erótico (13578)
Frases (50857)
Humor (20082)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140896)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6247)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Algo que esplendora -- 28/08/2003 - 23:12 (Elpídio de Toledo) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Clic"ali,oh:=>>>Espere o gato passar



Clic"ali,oh:=>>>Espere o gato passar

















O corpo que tocamos

e vemos não nos conduz,

não consegue, se tentamos

adentrar em nossa luz.



Esse corpo percebido

é, apenas, uma casca,

você o vê distorcido

do real, só uma lasca



da mais bela profundeza,

que pode ser bem sentida,

quando há Ser.; realeza

que pode ser percebida,



qual corpo interior

invisível, por presença

viva do observador,

que busca sua avença.



Portanto, o "habitar

o corpo" é um sentir

corpo no seu limiar,

sentir o seu devenir,



algo mais além da forma

exterior.; um início,

que nos leva e conforma

para grande benefício.



Serenidade e paz

mais no fundo teremos,

novo poder se refaz,

vida palpitante temos.



No início, serão raras

as visões desse lugar.

Camisas de onze varas

poderão atrapalhar.



Mas, através da visão,

você poderá sentir

muito mais animação,

quanto mais a repetir.



Você não é um fragmento

sem sentido nesse mundo,

só morte, de nascimento,

é algo bem mais profundo.



Sob a forma de fora,

estamos em conexão

com algo que esplendora,

e que foge à razão.;



é tão grande e sagrado,

e tão incomensurável,

que não pode ser tomado

em letras por um notável,



ou por alguém como eu,

que sobre Ele discorre.

Isso nunca ocorreu.

Ele, somente, ocorre.



Você pode conhecê-lO,

polindo a atenção.

A mente, com seu novelo,

impede a conexão,



absorve a consciência

e a transforma em teia,

oferece resistência,

pensamentos encadeia.



E o pensar compulsivo

é doença coletiva.

Saber de si é nativo

do que a mente ativa.



E sua identidade,

sem as raízes no Ser,

é vulnerabilidade,

medo que vai ocorrer.



Fica faltando, portanto,

o que importa na vida,

perceber o eu num canto

mais profundo pra saída.



Pra se tornar consciente

do Ser, livre-se da teia

já tecida pela mente

e que Dele lhe cerceia.



Isso é uma ação

essencial na jornada

da alma, ter tal visão,

consciência alargada,



livre do pensar inútil

que a mente compulsiva

gera, desde o mais fútil,

provocando recidiva.



Um modo bem eficaz

pra tal meta alcançar,

é ter atenção tenaz

e lá pra dentro "olhar",



o que não pode ser visto,

o campo de energia

que, em qualquer imprevisto,

nos dá vida, estesia.



Faça a experiência

com seus olhos bem fechados,

mantenha sua tenência

nos limites observados.



Por dentro seu corpo olhe,

sinta-o bem lá no fundo.

Veja o que você colhe:

está vivo, neste mundo?



Há vida em seu peito,

nos braços, pés, e nas pernas?

Sentir-se-á refeito

quem energias internas



pelo seu corpo notar,

passando pelos tecidos,

e fazendo palpitar

os seus órgãos bem nutridos.



O campo de energia

em seu corpo é um só,

das partes não se desvia,

vai a qualquer brocotó.



Atente, por um momento,

para uma sensação

que passa leve, qual vento,

querendo mais duração.



E quanto mais atenção

você der a tal sentir,

maior fortificação,

e clareza há de vir.



Cada célula mais viva

torna-se, e, se notar,

sem fazer uma esquiva,

numa imagem vai dar.;



a imagem, luminosa,

um certo conforto nos traz,

mas, embora poderosa,

o sentir mais nos refaz.



Não há forma no sentir,

não há limites, nem termo.

A sensação pode vir

de um ponto, o mais ermo.



Se você não a preende

melhor, profundamente,

neste estágio atende

bem o que você já sente.



Um leve formigamento

em qualquer extremidade

já é bom, neste momento,

sinta essa raridade.



Atente pra sensação.

Está se tornando vivo

seu corpo e, sem tensão,

vem bem-estar progressivo.



E, aos seus olhos abrir,

mantenha a atenção

na energia que vir,

não permita distração.



O corpo interior

na fronteira se situa,

entre forma e teor,

é a natureza nua.



Nunca perca o contato

com aquela interface,

mantenha-se com recato,

como se paz engendrasse.



Clic"ali,oh:===>>>Como jogar o tênis melhor que o Guga

























































































































































O corpo que tocamos

e vemos não nos conduz,

não consegue, se tentamos

adentrar em nossa luz.



Esse corpo percebido

é, apenas, uma casca,

você o vê distorcido

do real, só uma lasca



da mais bela profundeza,

que pode ser bem sentida,

quando há Ser.; realeza

que pode ser percebida,



qual corpo interior

invisível, por presença

viva do observador,

que busca sua avença.



Portanto, o "habitar

o corpo" é um sentir

corpo no seu limiar,

sentir o seu devenir,



algo mais além da forma

exterior.; um início,

que nos leva e conforma

para grande benefício.



Serenidade e paz

mais no fundo teremos,

novo poder se refaz,

vida palpitante temos.



No início, serão raras

as visões desse lugar.

Camisas de onze varas

poderão atrapalhar.



Mas, através da visão,

você poderá sentir

muito mais animação,

quanto mais a repetir.



Você não é um fragmento

sem sentido nesse mundo,

só morte, de nascimento,

é algo bem mais profundo.



Sob a forma de fora,

estamos em conexão

com algo que esplendora,

e que foge à razão.;



é tão grande e sagrado,

e tão incomensurável,

que não pode ser tomado

em letras por um notável,



ou por alguém como eu,

que sobre Ele discorre.

Isso nunca ocorreu.

Ele, somente, ocorre.



Você pode conhecê-lO,

polindo a atenção.

A mente, com seu novelo,

impede a conexão,



absorve a consciência

e a transforma em teia,

oferece resistência,

pensamentos encadeia.



E o pensar compulsivo

é doença coletiva.

Saber de si é nativo

do que a mente ativa.



E sua identidade,

sem as raízes no Ser,

é vulnerabilidade,

medo que vai ocorrer.



Fica faltando, portanto,

o que importa na vida,

perceber o eu num canto

mais profundo pra saída.



Pra se tornar consciente

do Ser, livre-se da teia

já tecida pela mente

e que Dele lhe cerceia.



Isso é uma ação

essencial na jornada

da alma, ter tal visão,

consciência alargada,



livre do pensar inútil

que a mente compulsiva

gera, desde o mais fútil,

provocando recidiva.



Um modo bem eficaz

pra tal meta alcançar,

é ter atenção tenaz

e lá pra dentro "olhar",



o que não pode ser visto,

o campo de energia

que, em qualquer imprevisto,

nos dá vida, estesia.



Faça a experiência

com seus olhos bem fechados,

mantenha sua tenência

nos limites observados.



Por dentro seu corpo olhe,

sinta-o bem lá no fundo.

Veja o que você colhe:

está vivo, neste mundo?



Há vida em seu peito,

nos braços, pés, e nas pernas?

Sentir-se-á refeito

quem energias internas



pelo seu corpo notar,

passando pelos tecidos,

e fazendo palpitar

os seus órgãos bem nutridos.



O campo de energia

em seu corpo é um só,

das partes não se desvia,

vai a qualquer brocotó.



Atente, por um momento,

para uma sensação

que passa leve, qual vento,

querendo mais duração.



E quanto mais atenção

você der a tal sentir,

maior fortificação,

e clareza há de vir.



Cada célula mais viva

torna-se, e, se notar,

sem fazer uma esquiva,

numa imagem vai dar.;



a imagem, luminosa,

um certo conforto nos traz,

mas, embora poderosa,

o sentir mais nos refaz.



Não há forma no sentir,

não há limites, nem termo.

A sensação pode vir

de um ponto, o mais ermo.



Se você não a preende

melhor, profundamente,

neste estágio atende

bem o que você já sente.



Um leve formigamento

em qualquer extremidade

já é bom, neste momento,

sinta essa raridade.



Atente pra sensação.

Está se tornando vivo

seu corpo e, sem tensão,

vem bem-estar progressivo.



E, aos seus olhos abrir,

mantenha a atenção

na energia que vir,

não permita distração.



O corpo interior

na fronteira se situa,

entre forma e teor,

é a natureza nua.



Nunca perca o contato

com aquela interface,

mantenha-se com recato,

como se paz engendrasse.



Clic"ali,oh:===>>>A...dão na puberdade





Clic"ali,oh:===>>>Como jogar o tênis melhor que o Guga











































































































































Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui