Usina de Letras
Usina de Letras
60 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59661 )

Cartas ( 21254)

Contos (13324)

Cordel (10319)

Crônicas (22226)

Discursos (3169)

Ensaios - (9535)

Erótico (13486)

Frases (47209)

Humor (19420)

Infantil (4621)

Infanto Juvenil (3937)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138767)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5656)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Contos-->Amor Virtual.... por Ela.... -- 30/08/2000 - 01:58 (Ana Bella) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Assim que eles se encontraram pela primeira vez, que os nicks se cruzaram em uma sala de chat, eles perceberam que algo diferente, contagiante, apaixonante, aconteceria.
Foi assim como amor a primeira vista.
Não eram simples nicks apenas, eram duas pessoas que sem se dar conta estavam em busca de sua alma gêmea.
Ela era alegre, expontânea, decidida, em algumas vezes arrogante (com uma “arrogância” só dela), de uma grande sensibilidade, tratava a todos com respeito, carinho e atenção, por isso era tão requisitada. (Existe uma carência muito grande de atenção entre as pessoas que conversam em chats).
Ela já entrara em outros chats, tinha um círculo grande de amizades, para ela isso não era difícil nem mesmo na vida real. Havia tido uma experiência de um relacionamento virtual (acreditava ter se apaixonado de verdade) que durou uns 02 anos (por circunstâncias da vida acabaram se afastando), e dizia pra si mesma que não mais aconteceria, que o chat só seria para se divertir e ter amigos, nada mais. A facilidade de comunicação atrai as pessoas mas a distância, em alguns casos, acaba afastando-as e isso dói muito.
Estava sempre brincando com todos, sem compromisso, sim, no chat existem os compromissos sérios, e com seu jeito liberal, alegre e extrovertido não tinha dificuldade para conquistar amigos e alguns admiradores. Deixava claro que só brincava e como brincava, não deixava ninguém quieto, estava sempre aprontando, até que “ele” apareceu...
Ele era assim como podemos dizer, um cara muito disputado entre as mulheres, tinha o dom de conquistá-las, todas passavam por ele, as que ele queria claro, e ele queria todas. Ele era super comunicativo, inteligente, impetuoso, a música era uma de suas maiores paixões. Ele era querido por todos e odiado por alguns (homens é claro). Tinha as características de um homem que toda mulher deseja, atraente, culto, decidido, brincalhão, excitante, galanteador, “senhor dos sonhos”, ele era fascinante. Por trás desse homem perfeito ainda parecia existir um menino que pedia colo, carinho e atenção, e isso o fazia mais desejável ainda.
Passou algum tempo observando-o no chat com outras pessoas até se incluir em seu circulo de amizades. Ela adorava falar com ele, falavam de tudo um pouco, cantavam as mesmas músicas, pareciam ter os mesmos gostos.
Algumas vezes, o deixava em “maus lençóis” com frases tipo: “tchau paixão” , “beijo na sua boca”, pura provocação, ela não tinha receios e ele no fundo gostava disso.
Cada vez mais ela ia se acostumando a ele. Tudo que vinha dele a fascinava, ela o admirava. Aquele homem a atraia de tal forma, que a fazia ir contra todos os seus princípios de não mais se apaixonar no virtual.
O melhor estava por vir....
“Ver” aquela pessoa era preciso, meu coração batia descompassado sempre que o via. Incrível! Como pode algumas letras significarem tanto assim? Não eram apenas letras, por trás delas existia “ele” ,aquele que me faria apaixonar com tamanha intensidade. .
Ele nunca estava sozinho, além de todas que ele se espalhava, tinha uma que ele parecia gostar de verdade, tinham planos para o real. Eu não me importava, isso nunca me incomodou, pelo contrário tudo que escrevia para ela eu imaginava como sendo para mim.
Eu sempre brincava com ele e me insinuava, usava de sedução (é algo que transborda em mim, eu sei e gosto disso). Eu precisava conquistá-lo, eu precisava dele.
Cada vez que eu o encontrava e ele me chamava de uma forma carinhosa especial era como se o aroma do desejo transbordasse pelos meus poros e invadisse aquela sala de chat, seduzindo a todos que compartilhavam da nossa cumplicidade. Era maravilhoso.
Não demorou muito e algo fizeram para que “ela” a quem ele se dedicava se desentendesse comigo e ele, por consequência disso, se afastasse de mim.
Trocávamos poucas palavras, eu até tentava conversar mas ele estava distante, parecia decidido a não me querer mais. Eu não entendia como algo de tão intenso e sincero que começara a existir entre nós não tivesse continuidade. Como todas as palavras que havíamos trocado poderiam ter se perdido? Como ele conseguia não me dirigir mais a palavra? Eu não aceitava aquilo.
Algumas vezes numa tentativa de chamar-lhe a atenção eu procurei e acho até que consegui irritá-lo, teclando com outros caras, acho que ele ficava furioso, enciumado, mas não dava o braço a torcer... no reservado eu me declarava como amiga como amante, o silencio dele me doía mas eu sabia que no fundo ele me queria tanto quanto eu a ele, não podíamos negar...
Eu não sabia mais o que fazer para que ele voltasse a me perceber como antes, eu chorava em frente ao meu computador, como se minha máquina pudesse me acalentar, eu não tinha com quem falar, poderiam achar um absurdo, me considerar uma louca com essa história, afinal eu tinha toda uma vida aqui fora... sim eu estava louca por ele...
Ficamos algum tempo afastados, mas o destino nos preparava algo...
Foi então que num final de semana nos reencontramos sozinhos no chat , estávamos eu e ele, ali naquele espaço só nosso. O que fazer, o que falar? Será que ele vai me responder? Comecei com: como está você? Meu Deus eu queria dizer como eu estava ansiosa por encontrá-lo e como eu tremia por não saber o que exatamente dizer. O silêncio, o medo... e ele, como se nunca tivéssemos nos afastado, me respondeu da mesma forma carinhosa de antes, eu não acreditava... era como se o mundo se abrisse para mim... eu sorria, poderiam até me considerar uma louca, sorrindo para minha máquina, eu não me importava, ele estava falando comigo.
Ficamos horas conversando, falamos sobre tudo que havia acontecido, falamos sobre nossas vidas, nem sentimos o tempo passar, ficou claro o que sentíamos verdadeiramente, o quanto nos desejávamos o quanto nos precisávamos.
Como se nossos corpos se procurassem, nossas bocas se unissem e nossas almas se encontrassem, fizemos o que poderíamos chamar de amor virtual, para nós, mais real do que poderíamos imaginar. Tão louco, tão puro, tão verdadeiro... nos despimos de pudores, vergonhas e confidenciamos nossos segredos mais íntimos, nossos desejos tão iguais... Não podia ser diferente, nós sabíamos que seria assim desde o início...
Passamos a nos ver sempre no chat, nos falávamos por telefone, por "e-mail", cada vez mais loucos um pelo outro imaginando o dia que nos encontraríamos.
E chegou esse dia. Meu Deus, eu teria aquele homem que tanto desejava, eu o teria de verdade em meus braços.
Quando ouvi sua voz dizendo: - Oi amor eu já estou subindo, meu corpo estremeceu, será que ele vai gostar de mim? Eu já gosto dele, não me importa como seja de verdade, eu o quero de todas as formas. Será que ele vai gostar de mim? Continuava me perguntando.
Fiquei observando no olho mágico e o vi caminhando até minha porta, “ah como amo esse homem” era só o que eu imaginava agora. Abri a porta e nos entregamos a um abraço, ahh como sonhei com aquele momento, sorrimos, choramos, lambi suas lágrimas para saciar minha sede e beijei sua boca como se pudesse suga-lo num beijo longo, ardente, carinhoso e desejado, sem me importar com a porta aberta ou com quem pudesse ver... ficamos assim por algum tempo, precisávamos disso, precisávamos nos sentir, nos olhar...
Sorrimos um para o outro e resolvemos fechar a porta.
Na ante-sala, sentados num sofá, tentamos conversar como se ainda precisássemos nos conhecer, bobagem, a atração era intensa, as palavras eram mais sussurros, o toque era imprescindivelmente necessário, nos beijamos varias e várias vezes, eu acariciava seu rosto, seus cabelos, e olhava em seus olhos. Ele me abraçava fortemente, e suas mãos percorriam meu corpo que estremecia a cada toque seu.
Nos descobríamos a cada toque, nos provávamos de todas as formas, sentíamos nossos gostos mais íntimos sorríamos como duas crianças descobrindo o sexo, nos saboreávamos daquele encontro tão desejado, nos entregamos aos nossos delírios sem desperdiçar um só segundo, poderíamos ficar ali para sempre e fazer daquele momento eterno.
Não nos importava o mundo lá fora, não nos importava mais nada...

Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui