Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
44 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59138 )

Cartas ( 21236)

Contos (13105)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46521)

Humor (19282)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138242)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5526)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->COITADA DA BENEDITA -- 14/08/2004 - 21:25 (Benedito Generoso da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. COITADA DA BENEDITA

A Benedita da Silva,
Governadora do Rio,
Quando estava no poder
Na pesquisa decaiu;
No belo Rio de Janeiro
Perdeu até pra bicheiro,
Para o planalto partiu.

Lula da Silva engoliu
Mais um sapo na merenda,
Na Ação Social, Benedita
Foi pior que a encomenda,
Tal como uma heroína
Fez turismo na Argentina
Com dinheiro da fazenda.

Reportagem estupenda
Estampou-se nos jornais,
Mostrando que a Ministra
Foi do menos para o mais,
Viajou para o estrangeiro,
Gastando nosso dinheiro,
Que era das obras sociais.

Sei que tenho credenciais
Pra denunciar o safado
Que do poder se aproveita
Pra ficar mais enricado;
Até no Banco Central
Tem gente sem a moral
Para o cargo indicado.

Fico muito indignado
Com o que se denunciou,
O Maluf é um corrupto,
A notícia a nós chegou,
Porém Rubenio Marcelo
Comigo bateu martelo
E com ele eu estou.

Waldomiro estrapolou,
Não conteve sua gula
Copactou-se com bicheiros,
Ao saber eu fiquei fula;
Não voto, estou furibundo,
Em quem promete o mundo
E depois não segue a bula.

Quando eu votei no Lula,
Busquei sarna pra coçar,
Hoje estou arrependido
E atrás não posso voltar;
O programa fome zero
Não é mais que um lero-lero
Tão só pra nos enganar.

No momento de votar,
O eleitor tem que ter manha,
Pois que pode confundir
Uma cobra com aranha;
Meu conselho é para o bem,,
Se votar em certo alguém,
Certo é que você apanha.

Continuemos a campanha,
Gritando neste deserto,
Tal como disse Domingos,
Por ser lúcido e esperto,
Muita promessa é besteira,
E Domingos Oliveira
Aponta o caminho certo.

O protesto está aberto
Com a minha voz que grita,
Mas que ninguém se engane
Naquela hora bendita;
Peço voto pra mulher,
Vote em que você quiser,
Só não vote em Benedita.

BENEDITO GENEROSO DA COSTA
benedito.costa@previdencia.gov.br

Leiam também Rubenio Marcelo
e Domingos Oliveira Medeiros,
respectivamente, Em:

AS MULHERES NO PODER (estamos com o PAM, que Benedito lançou

No Partido das Mulheres


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 101Exibido 913 vezesFale com o autor