Usina de Letras
Usina de Letras
50 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59675 )

Cartas ( 21255)

Contos (13343)

Cordel (10321)

Crônicas (22226)

Discursos (3170)

Ensaios - (9538)

Erótico (13486)

Frases (47229)

Humor (19421)

Infantil (4629)

Infanto Juvenil (3943)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138798)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5663)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cartas-->DIA DOS PAIS -- 23/01/2000 - 15:03 (AGUIA REAL) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
DIA DOS PAIS

SÃO PAULO, 10 de Agosto de 1986

Pedro, o papai sonhou contigo, com tudo o que aconteceu em nossas vidas, com a minha vida madura, e com a sua ainda pequenina vida. Sonhou também com o que seremos no dia do regresso. E eu te espero. Espero como os vaga-lumes esperam as noites e os campos
Pedro, no sonho o papai pensava que existia entre nós, uma coisa quase intransponível, lírica, romântica e cheia de delírio, e eu chorei, e no meu sonho fiz um mar de saudades de ti. Naquele lago grande, em vez de peixes, vivia a nossa história: tubarões-saudade, baleias-solidão...
Naquele lugar, existia uma caverna funda, tão profunda que eu me perdia, e a única forma de encontrar a saída, era ficar quietinho dormindo, até encontrar de novo a porta do dia.
Quando acordei, tive outro acesso de saudade-carinho, e abracei tudo que tem o teu jeito. Depois do que compreendi, abracei todas as coisas que vi. Abracei alguns brinquedos que ficaram esquecidos na minha casa, e parecia que todos tinham a tua cara olhando e rindo pra mim. Abracei meu corpo que fez o teu corpo, porque é a coisa mais viva de ti que existe em mim. Depois pra não ficar correndo e querendo abraçar tudo, deitei no chão, abracei o mundo e adormeci.
Pedro, como o amor é cego, eu fecho os olhos e te vejo. Como a distância é surda, eu choro em silêncio, sem lágrimas, só pensamento.
Mil beijos do papai. .


Essa carta foi escrita quando meu filho tinha menos de três anos. Então guardei pra poder mostrar depois que crescesse e pudesse compreender as coisas que estão escritas aqui. A carta já foi lida...

Fred Brasiliense
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui