Usina de Letras
Usina de Letras
25 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62475 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50861)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140903)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6250)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Tristan (XIII) -- 05/10/2003 - 11:26 (Elpídio de Toledo) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Clic"ali===>>>Gottfried von Strassburg







"Não, filha", disse a mãe, então,



não quero sofrer por isso.



Não podemos nos vingar,



se nós não queremos quebrar



nosso juramento e nossa palavra.



Não te apresse.



Ele fica sob minha proteção



com sua vida e seus bens.



Eu o mantenho, como sempre veio,



com total segurança."



"Obrigado, Senhora," disse Tristão,



"e lembrai disso, Senhora,



que meu corpo e meus bens



sob Vossa segurança ficam,



os de Vós, também, eu os garanto.



Então, exclamou a donzela: "Tu mentes!



Eu conheço o acordo.



Nunca ele prometeu



segurança e proteção



para vidas e propriedade."



Com estas palavras, ela foi novamente em direção a Tristão.



Porém, Tristão alegou: "Clemência, bela Isolde bonito, tem piedade!"



Também a mãe insistiu,



a impecável rainha.



Ele poderia ficar despreocupado.



Ainda que ele, então,



curando-se no banho,



e Isolda estivessem ali, a sós,



ele sobreviveria.



A donzela era doce e meiga,



e de amargura e fel, por sua natureza feminina,



nunca soube.



Como poderia matar um homem?



Somente de dor



e também de fúria



ela dava ares,



como se ela gostasse de fazer isto,



e, possivelmente, o teria feito



se ela tivesse coração para tanto.



Porém, ela era incapaz



de cometer tal falta de caridade.



Apesar de não ter sido tão generosa,



ela não se dava conta da fúria e da frustração



pelo que ouvia e via,



do tanto que tal dor tinha lhe infligido.



Ela ouviu seu inimigo, ela o viu,



e, mesmo assim, ela não o pôde matar.





Clic"ali,oh===>>>>História da Literatura do Médio Alto Alemão









Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui