Usina de Letras
Usina de Letras
64 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59658 )

Cartas ( 21253)

Contos (13324)

Cordel (10319)

Crônicas (22226)

Discursos (3169)

Ensaios - (9534)

Erótico (13486)

Frases (47208)

Humor (19417)

Infantil (4618)

Infanto Juvenil (3936)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138765)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5656)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Artigos-->O Coronavírus veio Marcar o Fim do Século XX -- 10/08/2020 - 21:09 (Lita Moniz) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

                                                 O Coronavírus Veio  Marcar o Fim do século XX

          O Brasil, dia 8/08/2020 passou a marca de 100.000 mortes por coronavírus.

Uma triste realidade, que a mídia brasileira apresentou com ênfase não só para o número,

mas analisando o que levou o país a atingir tão elevado alto índice de mortes por Covid-19.

         Claro, não faltaram críticas ao descaso do governo perante a pandemia; o modo como

o povo brasileiro se comportou e continua se comportando não levando a sério as normas

impostas pela ciência para evitar  o contágio, a área da saúde, já precária, não conseguindo

fazer o que era preciso para salvar gente contaminada, enfim, muito se disse e muito mais

haverá a ser dito depois que alguma vacina segura, chegar por aqui.

          No mundo inteiro não será diferente, quando esta tragédia passar cada país vai se

reestruturar a seu modo, assim como cada país enfrentou a pandemia dentro de parâmetros

próprios também. Mas há algo que já nos parece comum a todos: o covid-19 veio marcar

o fim do século XX. Falar em novo normal fica a impressão de que o velho normal ainda persiste aqui e ali, talvez o certo seria falar em outro normal.

Vou tentar aqui adequar à realidade do Brasil e do mundo em geral tendências apontadas

pela mídia para o mundo pós pandemia, mudanças profundas no modo de pensar, de viver

diante das  necessidades mais urgentes, agora mais urgentes ainda.

 O Covid- 19 chegou como acelerador de futuros. O século 20, uma época marcada pelo

 desenvolvimento tecnológico trouxe muitos avanços,mas não conseguiu frear a corrupção  que sempre  caminhou lado a lado com o progresso emperrando reformas urgentes que a  nação requeria: chega-se ao século 21 com milhões de famílias que nem sequer têm água e luz em casa, casas que não oferecem nenhuma possibilidade de vida digna, isto ficou muito evidente durante a pandemia: este altíssimo número de mortes por coronavírus, um dia se chegará à conclusão que não foi exatamente só o coronavírus, mas sim a falta de tudo, de médicos especialistas, de enfermeiros qualificados, escassez de respiradores, de remédios que podiam minimizar e conter efeitos danosos ao coração, pulmões e outros órgãos que este vírus vai danificando.

Uma triste realidade que o mundo quer deixar para trás, por isso que nem a palavra novo

normal cabe neste contexto, talvez “ outro normal” defina melhor o que o mundo está pedindo.

As crises obrigam as comunidades a se unirem mais como equipas nos bairros, nas cidades,

no campo, enfim, o fortalecimento de valores como solidariedade, empatia, busca por sustentabilidade, relações sociais, transformações nos campos da política, da economia, da relação do homem com o meio ambiente,

Sem dúvida haverá mudança de hábitos de consumo: consumir por consumir, ter o melhor

 tênis, o melhor celular, a marca a comandar a tendência, talvez esta pandemia nos mostrou

 que “menos é mais”bem- vindos ao século XXI,  adeus consumismo.

Adeus à mentalidade cruel que associava o valor do indivíduo à capacidade de gerar

resultados entre eles o principal:  aumentar o poder financeiro da empresa incentivando o

consumo, aumentando a produção,  as vendas e os lucros. Quantas frustrações este modo

de pensar trouxe para tantas pessoas que na tal busca  por resultados sacrificavam

 a vida deles, da família, alguns chegavam ao suicídio. Adeus, isto não funciona mais.

 Hoje faz-se necessário pensar mais no  que realmente é essencial: valorizar pessoas

talentosas, confiáveis,  colaboradores capazes de se adequarem com relativa facilidade

                     ao home Office que não é mais uma alternativa, é uma necessidade dos novos tempos.

A pandemia veio acelerar a instauração de novos hábitos entre eles cuidados com a saúde,

bem-estar, shows, espetáculos online, assistentes virtuais vão estar em alta.

   A busca por novos conhecimentos; a educação à distância vão estar em alta também:

outra forma de ensinar, de aprender está se desenhando e chegou para ficar, embora agora

 nos pareça um modelo que não inspira grandes perspectivas, mas  o tempo dirá que

este é um bom caminho para atingirmos uma educação com muito mais qualidade.

Um modelo que exige professores mais capacitados, mais comprometidos com práticas

eficazes para a aquisição de conhecimentos atualizados, adequados ao mundo que

vai surgir depois da pandemia.

                     Um mundo que se espera mais solidário, com senso maior de comunidade de pertencimento.

                                                                     

                                                                                                              Lita Moniz

Comentarios
Perfil do AutorSeguidores: 6Exibido 154 vezesFale com o autor