Usina de Letras
Usina de Letras
32 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62476 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50863)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140908)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6251)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Tristan (XVI) -- 18/10/2003 - 11:00 (Elpídio de Toledo) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Veja, também,===>>>Gottfried von Strassburg








Embora os amantes estejam irresistivelmente atraídos, um pelo outro, depois de beberem a poção do amor, eles não se rendem ao seu efeito. Isolda ainda pensa no seu tio e está envergonhada dos seus sentimentos.; Tristão está profundamente preocupado sobre a relação dele com seu tio e a perda de honra que ele sofrerá se ele for infiel à confiança dele. Então, ele ouve Isolda lamentando, e, de início, não sabe o que fazer:






Seu coração sobressaltou-se,



seus doces lábios ficaram cheios,



sua cabeça projetou-se à frente.



Seu amado



abraçou-a, igualmente,





nem muito de perto, nem um pouco afastado,



como é de praxe com um estranho.



Suave e docemente, ele disse a ela:



"Oh, amável beleza, dizei!



O que vos estremece, de que reclamais?"





Isolda, o falcão do amor,



respondeu: "Lameir é minha tristeza,



lameir entristece meu coração,



lameir me fere."



Como enfatizou tanto "lameir",





ele pensou e considerou,



cuidadosa e exatamente,



o significado desta palavra. Então, ele se lembrou,



de que "l"ameir" significa "amor"





"l"amei", "amargo", e "la meir", "mar".



Parecia ter uma grande quantidade de significados.



Ele saltou um dos três



e perguntou depois sobre os dois outros.



Ele omitiu o amor,





os outros dois, para a donzela,



ambos eram conforto e esforço.



Ele falou de mar e amargo.



"Eu acredito", disse ele, "bela Isolda", que



mar e amargura vos deprimem.





desagradam-vos o mar e o vento.



Penso que ambos são amargos para vós."



"Não, senhor. O que dizeis?



Nenhum dos dois me abala.



Nem o vento, nem o mar me desagradam.





Lameir somente me causa dor.



Como ele compreendeu a palavra,



ele conotou "amor" nisto,



e ele sussurrou-lhe:



"Verdadeiramente, minha bela, isto se dá comigo também.





Vós e lameir me afligem.



Amada donzela, querida Isolda,





Somente vós e vosso amor



perturbaram e roubaram,



totalmente, meus pensamentos.



Clic"ali,oh===>>>>História da Literatura do Médio Alto Alemão



























Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui