Usina de Letras
Usina de Letras
26 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59246 )

Cartas ( 21240)

Contos (13136)

Cordel (10297)

Crônicas (22218)

Discursos (3164)

Ensaios - (9458)

Erótico (13486)

Frases (46685)

Humor (19308)

Infantil (4486)

Infanto Juvenil (3780)

Letras de Música (5482)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138395)

Redação (3058)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5557)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->## DOIS BRASIS ## -- 26/05/2021 - 07:03 (Renato Souza Ferraz) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

DOIS BRASIS

Renato Ferraz

 

Nos 4 cantos do país a insatisfação é generalizada

Com tanta subversão, a situação ficou complicada

O povo revoltado reclama de tanto sofrimento

É quem paga a conta e ainda lhe falta alimento.

A vida do trabalhador é dura e mal remunerada

Pagam impostos elevados em troca de nada

Dois mundos nos separam com bastante distinção

Para os ricos habeas corpos, para os pobres a prisão.

O povo carrega nas costas o peso da nação

Trabalha duro e não recebe sequer educação

Os privilégios dos poderosos continuam preservados

Os governos mudam e eles continuam assegurados.

Muda-se de governo e tudo parece um estelionato

O sujo fala do mal lavado e a gente paga o pato

Depois que assumem tratam o povo com chicote

Para os inimigos a punição e os amigos o camarote.

A população é tratada como se pedisse esmola

A saúde é deficiente, assim também é a escola

Para eles não faltam verbas, tem o tesouro a disposição

O povo que se vire para ganhar o suado pão.

Ser político virou negócio, e até profissão

Defendem seus interesses e ainda levam seu milhão

Nos enganam à vontade falando em democracia

Fazem bem a encenação e praticam a demagogia

O lema é salve-se quem puder e quem for mais forte

O resto que se dane, fique entregue a própria sorte

Como “nossos bosques terem mais vida” e mais amor

Se o povo morre à míngua e sua saúde tem pouco valor?

A miséria e a fome já viraram uma epidemia

Essa tal bolsa que eles criaram, é pura heresia

É raro se tomar uma medida a favor do povão

Para eles tem orçamento, para o povo tem tostão.

 

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 1Exibido 57 vezesFale com o autor