Usina de Letras
Usina de Letras
52 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59672 )

Cartas ( 21255)

Contos (13340)

Cordel (10321)

Crônicas (22226)

Discursos (3170)

Ensaios - (9538)

Erótico (13486)

Frases (47225)

Humor (19422)

Infantil (4629)

Infanto Juvenil (3942)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138797)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5662)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->O MAR -- 12/04/2005 - 09:48 (Antonio Albino Pereira) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Vendo esta imensidão,
Me dispara o coração,
Me clareia o olhar.
É beleza infinita,
Não tem coisa mais bonita
Do que esse tal de mar.

Não sei se ele tá vindo
Ou até mesmo partindo,
As ondas que vem de lá.
Não sei se está descendo,
Só sei que estou vendo
A beleza que é o mar.

Pra onde será que vai?
De onde é que’le sai?
Isso não sei responder.
Mas os peixes, os golfinhos,
As baleias, os passarinhos,
E a gaivota sabem dizer.

As águas tão estrondosas
Enxaguam as lindas rochosas,
Mostrando o seu poder.
Retornam, com seu balanço,
Suaves rumo ao remanso,
Para o mar fortalecer.

E observo esta beleza
Que só a mãe natureza,
Um dia pode inventar.
Saudades já vou sentindo,
Agora que estou partindo
Pra onde não existe mar.

Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui