Usina de Letras
Usina de Letras
54 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60367 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22277)

Discursos (3194)

Ensaios - (9716)

Erótico (13520)

Frases (48255)

Humor (19555)

Infantil (4830)

Infanto Juvenil (4180)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139367)

Redação (3119)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5812)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->LIXÃO - um poema de Amor -- 08/01/2004 - 15:20 (Alexandre da Silva Galvão) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
LIXÃO - um poema de Amor



Calor, suor, balanço, inhaca...

De gente que vive, cheira e balança no ônibus da vida

Você e eu somos parte dessa gente de pé...

No ar, escondido, mas indisfarçável, certo acabrunhamento.

Efeito das primeiras descobertas...

coisas do Amor e seus de repente’s



Ônibus pára entrando mais gente...

Nossos corpos se espremem...

Inspiro seu cheiro e suspiro desejo... em sua orelha...

Sorri arrepiada, salvando a graça da minha presença.

Seu cheiro, sua nuca, que sua, de sua é minha, em sonho...

Na janela o lixão do qual um poema prometo... você duvida!

Ah natureza humana suja, que cerca, limita e expõe seu lixo!

Na alquimia dos desejos, medos e delírios do Amor,

É promessa de ternura eterna... é busca eterna da etérea alegria,

É a necessidade louca e urgente de se fazer poesia...





(À minha querida Pollyana, cumprindo uma promessa)















lexgal2@yahoo.com.br











Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui