Usina de Letras
Usina de Letras
52 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60371 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22277)

Discursos (3194)

Ensaios - (9717)

Erótico (13520)

Frases (48260)

Humor (19555)

Infantil (4831)

Infanto Juvenil (4180)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139379)

Redação (3119)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5812)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
cronicas-->oxAlá que houvesse -- 12/02/2003 - 15:29 (ANDRÉ spalis DOMINGUES) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Não sei, mas tudo leva a crer que Alá tenha sido um deus muito cornudo e inspirado. Senão veja-se isto: Na Nigéria, uma mulher foi condenada à morte por um crime que não cometeu. Esta serva de deus é acusada de adultério, mesmo depois de se ter divorciado do seu anterior dono ( com o qual necessariamente foi infeliz ). Temendo que as grandes mudanças lhe desonrassem ainda mais o nome, apaixonou-se por um vizinho. Desse relacionamento nasce uma criança. Como na mente vã desta gente varão é sinónimo de domínio e da proximidade com deus que primeiro toca no homem e só depois com a permissão deste tange a mulher, o conluio é facilmente fabricado. Qualquer mulher é ela própria a prevaricação disfarçada e o complexo de deus frágil e traído. Mas a lei islàmica afinal não é assim tão severa e ostensiva: adiou a trágica sentença durante dois anos para que a malvada não se ausentasse das suas funções de mãe e pelo menos fosse útil na amamentação desse novo ser com todas as desgraças consanguíneo.
A execução sob a égide de deus e de todos os machos implicados já é pública: A vítima será enterrada até ao peito e apedrejada até à morte.
Ora, para o Islão, a pedra assume proporções impróprias e magníficas. Ela, A Pedra, é a Pedra Negra de Caaba e chama-se a mão direita de deus ( vá-se lá saber se calejada por muita actividade onerante ou onanista ). É sobre ela que se jura fidelidade extrema, um pacto que dispensa a assinatura das mulheres e do qual estas ou saem difamadas ou para sempre perseguidas. Diz-se ainda que esta pedra testemunhará a favor dos fiéis, caso contrário... a pedra é soberana e nela concentram-se os chifres do Homem e de deus, revoltados, flácidos e partidos.
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui