Usina de Letras
Usina de Letras
50 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60343 )

Cartas ( 21288)

Contos (13385)

Cordel (10358)

Cronicas (22275)

Discursos (3191)

Ensaios - (9711)

Erótico (13520)

Frases (48222)

Humor (19544)

Infantil (4823)

Infanto Juvenil (4171)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139323)

Redação (3114)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2437)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5804)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Entre a Luz e a Sombra -- 15/02/2003 - 00:42 (André Luiz Rodrigues Marinho) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Entre a Luz e a Sombra



É noite. Quente, como em qualquer outro verão. O mar, escuro, imenso... Eu era apenas um ponto diante de todas as suas características. Um grande veludo azul cobria o céu naquele instante. Era quase possível tatear mentalmente sua textura, sentir o calor transmitido por seu brilho (as estrelas)...

Percebi um reflexo sobre aquelas águas. Um reflexo como nunca antes havia visto. Intenso e brilhante, realçava as marolas provocadas pelo vento - que soprava forte, entusiástico. Procurei então de onde era emitida tão resplandecente luz. Olho para cima e a encontro: Omnisciente e diametral, pairava no céu, flutuava no mar, mostrando-me todo seu vigor e onipotência.

Enternecido por sua presença, permito-me navegar por seus mistérios para tentar descobrir de onde provém tanto encanto. Dentro dela há uma sombra, o que me deixa mais intrigado. O que falaria? Seria um presságio?

Cada vez mais me sentia absorvido por ela, como se sugasse dos meus pensamentos todos os meus anseios e expusesse todas as minhas máculas e virtudes afim de que eu mesmo avaliasse minha consciência. Sinto-me então pequeno, progressivamente, diante da plenitude do mar, diante da grandeza da lua...

Desperta-se em mim, então, um caráter onírico: Vejo meu passado, os bons e ruins acontecimentos...lembro de pessoas, de seus gestos, de suas atitudes e minhas reações frente às situações... Penso "como pude fazer isso?" e "Puxa, como foi bom..."

Fico preenchido dessas recordações, olhando para o horizonte... O veludo está ainda mais escuro. Retorno àquela sombra. A vejo mais profunda, deixando-se transpassar os raios cintilantes. Nela, projeto o que desejo de bom, o que quero realizar e, no fundo, enxergo a mistura de sentimentos - estes que compõem a natureza humana - que se concluía com a felicidade.

Acordo do sonho. Ainda estou fascinado por aqueles sinuosos reflexos. Reflito e me vejo profundo, crescido, percebendo que erros e acertos fazem parte da nossa transformação. Na sombra, havia um futuro. E o futuro era consequência do que eu pensava.

Foi anunciado: se depender do que quero e do que faço, sei que serei feliz. Tenho certeza e lutarei por este futuro. Do passado, dos bons acontecimentos e da reflexão dos casos ruins, resta uma saudade - que será instrumento para o progresso da minha vida.




Contos Mínimos - Por André Marinho
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui