Usina de Letras
Usina de Letras
72 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60365 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22277)

Discursos (3194)

Ensaios - (9715)

Erótico (13520)

Frases (48251)

Humor (19553)

Infantil (4829)

Infanto Juvenil (4180)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139363)

Redação (3118)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5812)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Artigos-->Exportar Para Quê? -- 24/06/2002 - 15:28 (Anderson Rodrigo Gonçalves Lima) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Lá se vão quinhentos anos de Brasil, deixamos de ser colônia é verdade, fomos promovidos a Reino-Unido, de Império a República, mas de fato o que realmente mudou na relação de subserviência do nosso imenso país com os grandes centros econômicos...

Desde as primeiras "exportações" da colônia para a metrópole, o Brasil tem sido saqueado, da forma mais brusca e devastadora possível. A situação pouco se alterado, deixamos de ser obrigados e passamos a nos ver obrigados a exportar.

O discurso dos países de centro é muito simples, que nos diz que basta termos um bom produto que fatalmente estaremos competindo de igual para igual, ora caros amigos sabemos que as coisas não andam bem assim, para que maior exemplo que questão do aço, o Brasil produz um dos melhores e mais competitivos aço do mundo, mas países como Estados Unidos tem imposto salvaguardas cada vez mais duras.

A importância de países em desenvolvimento estarem aptos à exportação de produtos sejam eles agrícolas ou manufaturas, viraram verdadeira coqueluche entre autoridades, economistas e empresários, entretanto, o Brasil é hoje um dos maiores exportadores mundiais, tanto na área agrícola como em alguns setores tecnológicos, ainda assim não conseguimos resolver problemas como falta de emprego, moradia e saúde de nossa população.

Me pergunto onde têm nos levado essa prática de entrequismo de nossas riquezas, já que não beneficiado o povo e a construção de uma nação mais próspera.

Na verdade não adianta termos um bom produto, se os países do centro não estão dispostos a abrir seus mercados.

Até quando vamos entregar nossas riquezas seja pela força, seja por alguns trocados, não há economia forte sem políticas que favoreçam sua população, até quando vamos ver nosso povo passando fome, e os grandes investidores se divertindo no cassino que se transformou a economia economia brasileira.



Autor: Anderson Rodrigo Gonçalves Lima

e-mail: anderodrigo03@hotmail.com
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui