Usina de Letras
Usina de Letras
74 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59656 )

Cartas ( 21253)

Contos (13324)

Cordel (10319)

Crônicas (22226)

Discursos (3169)

Ensaios - (9535)

Erótico (13486)

Frases (47208)

Humor (19423)

Infantil (4618)

Infanto Juvenil (3936)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1340)

Poesias (138764)

Redação (3078)

Roteiro de Filme ou Novela (1061)

Teses / Monologos (2432)

Textos Jurídicos (1946)

Textos Religiosos/Sermões (5656)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Roteiro_de_Filme_ou_Novela-->REVELAÇOES - PARTE 11 -- 17/06/2005 - 13:04 (Angellus Domini) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
PARTE XI


Sua pele era como pêssego maduro, sua boca doce como o mel. As mãos de Pedro deslizavam sobre o corpo alvo de Tatyanna. Tocava seus seios, e pequenos e firmes, como quem toca algo sagrado. Beijava-lhe a boca, como se dali emanasse a seiva que o mantinha vivo.

Ela se entregava a um homem pela primeira vez, tremia de medo e excitação.

Pedro agora dormia, abraça-do a Tatyanna, que se mantinha acordada.

Com muito sacrifício, consegue se livrar do abraço de Pedro, tem que se apresar a colocar suas roupas. Em breve eles estarão chegando. O remédio que ela ministrara a Pedro, em sua bebida, sem que ele percebesse estava fazendo efeito. Ele já estava em estado de topor.

Ela se sentia terrivelmente angustiada em ter feito isso com a pessoa que amava. Mas Leonjd não poderia estar errado. Goran não poderia estar errado. As profecias não poderiam estar erradas. Seu coração não poderia estar errado. Era isso que ela deveria fazer.

Enquanto estava perdida em seus pensamentos, eles chegam. O abade Leonjd, com suas veste negras e seus ícones reluzentes, e seu anel episcopal no dedo, era precedido por Bruno Goran, o velho monge romeno, místico e visionário,com sua longa barba branca, e por Jan Vlk, o noviço tcheco, em sua toda sua juventude, com 17 anos, pálido e tremendo, visivelmente assutado.

Leonjd olhou para a cama, onde Pedro esta. Viu que ele estava nu, e percebeu o que teria acontecido ali. Ele falou com Tatyanna, em russo.

- моя девушка. Deus sabe a dor que meu coração sentiu com o que foste forçada a fazer. Mas sua castidade não é nada, Deus me perdoe, perto do bem que esta fazendo ao mundo.

Abraçou ternamente a ex-monja, que deixara a ordem das Pequenas de São Kiril, para esta terrível missão, e acabara se apaixonando pela sua presa. Mas a missão era mais importante. E a missão fora cumprida.

E olhando para o velho Goran, disse.

- Você estava certo, irmã Bruno. Somente a inocência de uma monja poderia domar esta criatura do mal.

O velho se inclina diante do abade. E sai acompanhando Tatyanna. Outros dois monges entram trazendo cordas. Vestem Pedro, e o amarram.

- Levem-no para o carro. Você, Jan, avise os outros na velha igreja que preparem a lenha e os combustíveis. Vamos passar no esconderijo antes, temos que pegar algumas coisas.


Eles saem em dois carros, em direção a um galpão antigo. Esta abandonado a muito tempo. Era a sede do antigo mosteiro ortodoxo São Gregório, o Iluminador. Fora fechado a muito tempo.

Os monges entram carregando Pedro. O carro em que Tattyana estava toam outra direção.

Jogam Pedro em um canto, e, puxado pelo velho Goran, iniciam um oficio de louvor pelo êxito na missão.

Quando terminam as preces, percebem que Pedro esta acordando.


Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui