Usina de Letras
Usina de Letras
66 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60365 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22277)

Discursos (3194)

Ensaios - (9715)

Erótico (13520)

Frases (48251)

Humor (19553)

Infantil (4829)

Infanto Juvenil (4180)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139363)

Redação (3118)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5812)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Amorigo -- 22/07/2004 - 00:43 (Arthur Colaço Pires de Andrade) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Amigo, aquele que te Ajuda

Amigo, o que teu coração Mune

Amigo, o que teu ânimo Incende

Amigo, o que realmente te Gosta

Amigo, o que sempre por ti Ora



Tu para mim és tudo,

Proteges-me dos inimigos

Com teus feitos amicais me faço mudo

Tu me recolhes do desabrigo

Mostras-me o mundo

Num passeio no pascigo.



Pois então, é teu esse poema.

Não recuses a oferta,

Pois mereces mais que rimas.

Juntos sempre fazemos descobertas

E juntos resolvemos grandes problemas.

Por isso somos amigos, na certa.



Com teu feitos te admiro,

Quando preciso-te, estás sempre perto

Às vezes com minhas manias te firo,

Mas me perdoas aberto.

Por certo és especial, assiro.

E da cadeia do tédio sou liberto.



Agora este poema acabo

Com apenas mais um verso de ressalva.

Amigo, continues sendo o cabo

Que segura meu mundinho “estrela d’alva.

“Iramigo”, aquele que tem Ira.;

“Amorigo”, o que só dá Amor.





Por Arthur C. P. de Andrade.

Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui