Usina de Letras
Usina de Letras
58 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60367 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22277)

Discursos (3194)

Ensaios - (9716)

Erótico (13520)

Frases (48255)

Humor (19555)

Infantil (4830)

Infanto Juvenil (4180)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139367)

Redação (3119)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5812)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->O meu voto em 2006 -- 05/09/2006 - 10:15 (Athos Ronaldo Miralha da Cunha) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos


O voto em 2006
Athos Ronaldo Miralha da Cunha

Eu quero uma vida bela
Para todos os brasileiros
É a sina desse campeiro
Quando abro esta cancela
A porteira verde amarela
Pois é um cidadão decente
Um símbolo permanente
Que povoa esse Brasil
Debaixo de um céu de anil
Terra e trabalho pra gente

Eu trago uma doce aquarela
Que pinto por esse Brasil
E escuto o MV Bill
Catando a sua favela
E ainda choro por ela
Aquela bandeira encarnada
Que sempre esteve enrolada
Pelo sonho juvenil
Pois dessa bandeira pariu
A voz do povo embargada

Nesse ano de eleição
O voto não se anula
Por isso voto no Lula
Com alma e coração
Por respeito a esse chão
Nesta terra de gente guapa
É a herança farrapa
Que resgato nesse cordel
É um pote de mel
Que um humilde arrebata

O galo da Bossoroca
Veio com a força do povo
Pra ser governador de novo
E pra luta nos convoca
Tiramos o tatu da toca
E vamos pro meio da rua
E com a companhia tua
Com a cara feito coragem
A esperança na bagagem
No facho do clarão da lua

Sou de berço missioneiro
Tenho herança maragata
E coloco nesta passeata
Uma estampa de carreteiro
É o pago que trago inteiro
Que é o Rio Grande pra frente
Com alegria coração e mente
E Olívio Dutra no Piratini
Para que tudo por aqui
Fique com gosto de gente

O nosso amigo Rossetto
Um verdadeiro senador
Tem o olhar no sol pôr
Não é um voto de cabresto
Simples como feijão preto
É a força e voz dessa terra
É da pampa é da serra
Um amigo no Congresso
Nesse sentido eu te peço
No Rossetto ninguém erra

O Tarcisio Zimermann
Um deputado federal
Faz um baita diferencial
Com luta e disposição
Rápido como alazão
Nesta causa popular
Das missões a beira mar
Nós temos um amigo certo
O povo sempre por perto
Em qualquer hora e lugar

Neste chão meridional
Conheci um certo Raul
Índio que veio do sul
Um deputado estadual
Gaúcho flor de bagual
Desta terra colorada
Tem a mão espalmada
E no peito um coração
Com essa linha de mão
Tem o voto da gauchada
Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui