Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
74 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59138 )

Cartas ( 21236)

Contos (13105)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46521)

Humor (19282)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138242)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5526)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->O NASCIMENTO DE JESUS -- 25/12/2006 - 13:37 (Benedito Generoso da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.
O NASCIMENTO DE JESUS

Sendo Quirino, na Síria,
Governador da nação,
O imperador Augusto
Fez uma convocação,
Pedindo recenseamento
De toda a população.

Todos então deveriam
Cada um se apresentar
Na cidade de origem
Para ali se alistar,
Era decreto do Império,
Ninguém podia faltar.

Como José e Maria
Eram pessoas de bem
Subiram de Nazaré
E foram para Belém,
Cidade do Rei Davi
Para se alistar também.

Completou-se aí o tempo
Da gestação de Maria
Que seu Filho deu à luz
Numa pobre estrebaria,
Pois outro lugar melhor
Para eles não havia.

Ali por perto, no campo,
Achavam-se alguns pastores
E um anjo apareceu-lhes
Repleto de esplendores,
Envolvendo-os de luz,
Mas causando-lhes temores.

O anjo assim lhes falou:
- Deixai de tanto temor;
Na cidade de Davi
Nasceu hoje o Salvador,
O Messias esperado,
Que é o Cristo Senhor.

Eis que vos dou um sinal
Para que o recém nascido,
Quando vós o procurardes
Possa ser reconhecido:
Está numa manjedoura
Todo em faixas envolvido.

Nisso milhares de anjos
A este foram juntados;
“Glória a Deus nas alturas”,
Diziam em altos brados,
“E na terra paz aos homens
Que por Ele são amados.”

Então aqueles pastores,
Antes de raiar o dia,
Foram depressa a Belém
Cheio de grande alegria
E acharam o Menino,
Junto com José e Maria.

Puseram-se a contar
O que se tinha passado,
Como acerca do Menino
O anjo lhes tinha falado
E todo aquele que ouvia
Já ficava admirado.

Maria, silenciosa,
Prestava toda atenção
Às palavras dos pastores,
Guardando-as no coração
Para mais tarde fazer
A sua meditação.

Tudo igual dissera o anjo,
Os pastores constataram
E bastante satisfeitos
Para casa regressaram,
Glorificando a Deus
Pelo que lá presenciaram.

BENEDITO GENEROSO DA COSTA
benegcosta@yahoo.com.br
DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS











Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 101Exibido 3484 vezesFale com o autor