Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
35 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59134 )

Cartas ( 21236)

Contos (13113)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46517)

Humor (19281)

Infantil (4460)

Infanto Juvenil (3726)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138234)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5525)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->PARA A MUSA MILENE (MILAZUL) -- 20/02/2007 - 13:45 (Benedito Generoso da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.
PARA A MUSA MILENE (MILAZUL)

Milene, a nossa Musa,
Que bom que voltou aqui
Já falando de Jorginho
Mas têm os demais aí;
Você diz tudo e dá o fora
Por que é que vai embora
Sem falar d’outros que li?

Torre da Guia está ali,
Ele bem que o merece,
Mas não esqueça o Fiúza,
Que alegra e não entristece
Ele encarna O Manezinho,
Dois amigos de Jorginho,
Que todo leitor merece.

Sei que você não esquece
Os amigos de outrora
Daquele Piolho Chato,
Domingos também nest"hora,
Saudades do Coadinho
Brigando com Manezinho,
Por esse mundo afora.

Rubenio canta até agora
Noutro site com Jorginho,
É um gênio que publica
Poesias com mui carinho,
Livros, CD em profusão,
Porque tem inspiração
E aponta novo caminho.

Eu a beijo com carinho,
Querida Milene Arder,
Que agora é Milazul,
Amo-a sem você saber,
Na Usina ainda estou,
Porque você Proclamou
Que este site é pra valer.

Continuam a escrever
Num correto estribilho
O Menestrel José Dantas
E o poeta Silva Filho,
Não esqueço de citar
Virgolino de Alencar
Elpídio nos mostra o trilho

Canta-nos sem garrotilho
E o nosso coração chora,
Todos deixaram saudades,
Os cordelistas de outrora
Lembro a Tere Penhabe
Tem talento e você sabe,
Está entre nós agora.

Eu tenho que ir embora,
Sem falar d’outros autores,
Mas quero citar Henrique
E Pedrinho com louvores
Também é um grande bardo
O Paulo Marcio Bernardo,
Airam escreve com primores.

Às mulheres mando flores,
Que eu arranco do galho,
Dou a Hull de la Fuente
Mas Carlos Cunha eu malho,
Só que é de brincadeira
Sem deixar nesta peneira
A bela Ivone Carvalho.

Nas cartas que embaralho,
Algumas ficam de fora,
Se você não foi citado,
Peço-lhe perdão agora,
Não foi por má intenção,
Guardo-o no coração
E o encontro a qualquer hora

BENEDIOT GENEROSO DA COSTA
benegcosta@yahoo.com.br
DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS

Leia a resposta de Milazul:
Para Benedito Generoso



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 101Exibido 1081 vezesFale com o autor