Usina de Letras
Usina de Letras
48 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60367 )

Cartas ( 21289)

Contos (13387)

Cordel (10358)

Cronicas (22277)

Discursos (3194)

Ensaios - (9716)

Erótico (13520)

Frases (48255)

Humor (19555)

Infantil (4830)

Infanto Juvenil (4180)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1345)

Poesias (139367)

Redação (3119)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2438)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5812)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Textos_Religiosos-->DE QUE O AMOR É CAPAZ -- 15/02/2007 - 11:33 (ANTONIO LUIZ MACÊDO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
DE QUE O AMOR É CAPAZ! (Mt 1,18-24)
Antonio Luiz Macêdo

Havia três meses da sua viagem até Ain-Karin. Quando partira naquela manhã, “às pressas”, para servir a Isabel, já no sexto mês de gestação, não tivera nem tempo suficiente para avisar a José. Guardara no coração tudo o que lhe havia acontecido. Partilharia tudo na volta. Não tinha tempo a perder. Na primeira caravana, rumou para a Judéia. Completando-se os dias, Isabel, esposa de Zacarias, dera à luz um menino. Seu pai escreveu numa tabuinha (porque estava mudo): “Ele será chamado João”. Alguns dias mais, e a despedida inevitável. Lágrimas e risos misturavam-se. Um beijo, dois abraços... E Maria retorna à Galiléia.

José impacientava-se mais e mais. Não recebia notícias. Inquieto e angustiado, esperava ansiosamente o retorno de sua doce amada. Durante o dia a saudade tomava conta do seu coração, e durante a noite a insônia vigiava seus olhos cansados de esperar.

Maria estava de volta. José dirige-se apressadamente ao seu encontro. O coração dispara. A respiração torna-se ofegante. Sua amada está a poucos metros. Corre. Ela vem ao seu encontro. Seu sorriso transcende o infinito. Os braços de Maria se abrem para o abraço... José pára. Talvez a única palavra pronunciada naquele instante, tenha sido: “Maria?!...”

Retrocede. Toma a direção de volta. Seus sonhos desmoronam-se. A cabeça é um turbilhão. Um vendaval faz ruir seus sentimentos. A confusão mental não tem limites. “Não é verdade; não pode ser verdade” - exclama de si para si.

E naquela angústia de um conflito interior que parecia não ter fim, “José resolve deixá-la secretamente”. Prefere que a culpa da gravidez de sua noiva, recaia sobre ele. Agindo desta maneira, Maria estava livre do apedrejamento. De que o Amor é capaz!

Homem de Fé e ajustado à vontade de Deus, espera a madrugada. Naqueles poucos momentos, adormece. Um sonho o renova. As palavras do anjo consolam-no. O temor dissipa-se do seu coração. As trevas dão lugar à luz. A gravidez da sua amada é obra do Espírito Santo.

José acolhe Maria em sua casa. Sua amada continua virgem, ele continuará casto. O amor é infinitamente maior que os seus desejos. Entende que não pode, nem deve macular o útero que se fez Sacrário. Amam-se em Deus. De que o Amor é capaz!

JESUS, MARIA E JOSÉ, A NOSSA FAMÍLIA VOSSA É.







Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui